Impasse sem fronteiras

O TAMANHO DA CRISE PODE SER TRADUZIDO EM NÚMEROS. QUAIS SÃO AS PRINCIPAIS ROTAS PARA UMA VIDA NOVA, A ORIGEM DOS REFUGIADOS E QUEM VAI RECEBÊ-LOS NA EUROPA

Do alerta à ação

 

Papa abre o debate — 26/11/2014

Era a primeira visita do Papa Francisco ao Parlamento Europeu e ele escolheu incentivar o retorno da "alma boa" do continente. "Não se pode tolerar que o Mediterrâneo se converta em um grande cemitério", disse. A defesa dos imigrantes e dos trabalhadores virou uma das grandes bandeiras de seu pontificado.

 

Caminhão de corpos — 27/08/2015

A polícia austríaca encontra 71 corpos de refugiados sírios em um caminhão frigorí- fico. O fato ocorreu no mesmo dia em que dois barcos com cerca de 500 imigrantes afundaram após deixar Zuwara, na Líbia.

Aylan, a imagem — 02/09/2015

Uma foto que muda a história. O fim trágico de Aylan Kurdi, três anos, com o rosto quase enterrado à beira-mar na praia de Ali Hoca, no vilarejo de Bodrum, na Turquia, balançou a Europa. A imagem foi mais impactante que todos os textos sobre crueldade e impotência na crise migratória vivida em mares e solo europeus.

 

Líderes reagem — 22/09/2015

Os ministros do Interior dos países membros da União Europeia aprovam resolução para a distribuição de 120 mil refugiados.

Foi acordado que 66 mil pessoas fossem deslocadas neste ano, das quais 50,4 mil estavam em abrigos na Grécia e 15,6 mil na Itália. Os outros 54 mil serão divididos em 2016.

A situação na Síria, país de origem da maior parte dos refugiados, agravou-se pela ofensiva do grupo jihadista Estado Islâmico e pela longa duração da guerra civil interna. Não há liberdade. A maioria prefere arriscar a vida para chegar à Europa a ir para campos de refugiados em países vizinhos.

 

OS OITO PAÍSES QUE MAIS RECEBERÃO REFUGIADOS NESTE ANO

A origem dos pedidos de asilo... (jan-ago)

E o destino dos pedidos

Economia forte da Europa, a Alemanha precisa de mão de obra, pois o seu povo está envelhecendo. Projeções indicam que a população cairá de 81,3 milhões em 2013 para 70,8 milhões em 2060. Por isso, o país abriu aos portas aos imigrantes.