Do livro à tela

Cinemateca Capitólio exibe filmes inspirados em Jorge Luis Borges

Programação integrante do Festival de Inverno tem entrada franca

24/07/2017 - 18h05min | Atualizada em 24/07/2017 - 18h05min
Cinemateca Capitólio exibe filmes inspirados em Jorge Luis Borges cinemateca capitólio/Divulgação
"Invasão", com sessão nesta terça, às 18h, tem uma trama distópica com roteiro de Borges e Adolfo Bioy Casares Foto: cinemateca capitólio / Divulgação  

A Cinemateca Capitólio (Demétrio Ribeiro esquina Borges de Medeiros) apresenta a partir desta terça-feira (25) até 2 de agosto, com entrada franca, a mostra Jorge Luis Borges no Cinema: Versões e Perversões, com 10 filmes que dialogam com a obra do escritor argentino. Entre os títulos selecionados, estão adaptações de contos e produções livremente inspiradas no universo fantástico consagrado pelo autor. Um dos destaques da seleção é Invasão (1969), cultuado longa de Hugo Santiago, com roteiro assinado por Borges (1899 — 1986) em parceria com o também escritor Adolfo Bioy Casares (1914 — 1999).

Com sessões nesta terça, às 20h10min, e 1º de agosto, às 18h, Invasão estabeleceu um marco no cinema argentino de vanguarda ao interligar conceitos estéticos das linguagens clássica e moderna, esta sob a influência direta da nouvelle vague. A trama no registro fantástico incorpora elementos do gênero policial e tem como cenário uma Buenos Aires distópica, chamada Aquileia. A cidade encontra-se sob iminente risco de invasão de um poderoso grupo de homens vestidos com gabardines, tensão que vai provocando uma progressiva mudança no ambiente.

Aclamado pelos críticos, Invasão foi um fracasso comercial e ficou por muitos anos fora de circulação. Ganhou status de filme de culto com sua redescoberta, em 2008, por conta do lançamento em DVD em edição acompanhada de extras com os bastidores da realização e um livreto com extensa fortuna crítica. Com o tempo, o longa ganhou ainda diferentes releituras, de crítica ao imperialismo sobre a América Latina à alegoria sobre a instabilidade política da Argentina, país marcado por sucessivos golpes militares. Quem assina a fotografia é o argentino Ricardo Aronovich, que trabalhou em clássicos do cinema brasileiro como Os Fuzis, de Ruy Guerra, e São Paulo S/A, de Luis Sérgio Person, e está nos créditos de filmes de nomes como Louis Malle (Sopro no Coração), Costa-Gavras (Desaparecido — Um Grande Mistério), Alain Resnais (Providence) e Ettore Scola (O Baile e A Família).

Entre outros títulos da mostra, que integra a programação do Festival de Inverno, estão três longas brasileiros: A Intrusa (1979), do argentino radicado no Brasil Carlos Hugo Christensen, adaptação do conto homônimo; O Garoto (2015), de Julio Bressane, inspirado no conto O Assassino Desinteressado Bill Harrigan,  no qual Borges faz referência à saga do pistoleiro do Velho Oeste Billy The Kid; e Em Busca de Borges (2016), de Cristiano Burlan, com personagem guiado pelos escritos do autor em uma jornada por São Paulo, Buenos Aires e Genebra. 

A presença de Borges é destacada ainda em produções como Performance (1970), celebrado filme de Nicolas Roeg e Donald Cammell estrelado pelo rolling stone Mick Jagger. Na trama, personagens leem uma edição em inglês de Antologia Pessoal, e o cantor recita trechos do conto O Sul.  Estão presentes ainda cineastas renomados como Jacques Rivette (Paris no Pertence), Bernardo Bertolucci (A Estratégia da Aranha) e Raoul Ruiz  (O Navio dos Afogados

Os filmes e a programação da mostra

Dias de Ódio (Argentina, 1954, 70 minutos), de Leopoldo Torre Nilsson.
Emma Zunz, encarnada por Elisa Galvé, é uma garota jovem e solitária, com poucas amigas. Quando recebe uma carta a respeito do suicídio de seu pai, no Brasil, começa a planejar a vingança contra um empresário. Ele é o antigo companheiro de trabalho de seu pai. Adaptação do conto Emma Zunz, de Jorge Luis Borges.

Paris nos Pertence (França, 1961, 135 minutos), de Jacques Rivette
Anne Goupil é uma jovem parisiense estudante de literatura. Encontra-se por acaso com um grupo de teatro que ensaia arduamente Péricles, de Shakespeare, mesmo sem nenhum recurso financeiro. Ao mesmo tempo em que aceita o desafio de atuar na peça, Anne se descobre completamente envolvida numa misteriosa conspiração política cujos adeptos suicidam-se inesperadamente. O apocalipse iminente desestabiliza todas as suas convicções. Para Edgardo Cozarinsky, autor do livro Borges em/e/sobre Cinema, livro que inspirou parte da programação da mostra, a associação de Paris nos Pertence com a obra de Borges criou uma genealogia incalculável dentro do cinema de Rivette. 

Invasão (Argentina, 1969, 120 minutos), de Hugo Santiago
Um grupo de homens liderados por um idoso tenta impedir uma invasão à cidade de Aquileia. As ações da equipe vão transformando todos os ambientes do lugar. Com uma história que faz referências a Guerra de Troia, o grupo, porém, logo percebe a imensa força dos invasores. O roteiro de Borges e Adolfo Bioy Casares. 

Performance (Inglaterra, 1970, 100 minutos), de Nicolas Roeg e Donald Cammell
Chas (James Fox), um violento e psicótico gângster inglês, precisa de um lugar pra se esconder. Encontra o abrigo perfeito na mansão de Turner (Mick Jagger), antigo astro do rock que agora vive recluso na companhia de Pherber (Anita Pallenberg), Lucy (Michèle Breton) e muitas drogas. Para Edgardo Cozarinsky, "embora não adapte um texto de Borges em particular, deriva francamente de toda a sua obra.

A Estratégia da Aranha (Itália, 1970, 100 minutos), de Bernardo Bertolucci
Athos Magnani vai a Tara, povoado da Bassa Padana, para investigar a morte de seu pai, um misterioso personagem que teria se envolvido na luta contra o fascismo e em um atentado ao ditador Mussolini. No entanto, mesmo conhecendo muitas pessoas ligadas ao pai, Athos não consegue concluir se ele foi um traidor ou um herói. Adaptação do conto Tema do Traidor e do Herói. Sessão especial do projeto Raros, na sexta, d

A Intrusa (Brasil, 1979, 100 minutos), de Carlos Hugo Christensen
No Pampa, em 1897, dois irmãos solitários e agressivos e brigões são ligados por uma profunda afeição. Mas um dia, Cristiano (José de Abreu), o mais velho, leva para casa a bela Juliana (Maria Zilda Bethlem) e desperta a discórdia com Eduardo (Arlindo Barreto). Trilha de Astor Piazzolla. Adaptação do conto homônimo.

O Navio dos Afogados (França, 1983, 100 minutos), de Raoul Ruiz
Histórias fantasiosas com três marinheiros formam um labirinto de referências culturais, que vai dos desenhos criados pelo cartunista Milton Caniff a Moby Dick, de Melville, passando por autores como Homero, Cervantes, Stevenson e Conrad. O chileno Raoul Ruiz, segundo o crítico Inácio Araújo é "um herdeiro direto de Orson Welles e Jorge Luis Borges, na medida em que aceita o mundo como constituído por aparências, a partir das quais compõe seus labirintos". 

Jauja (Argentina, 2014, 110 minutos), de Lisandro Alonso
Um homem (Viggo Mortensen) e sua filha embarcam numa viagem que tem como destino um deserto localizado no fim do mundo. Esta é uma empreitada em que muitos já se aventuraram, mas poucos conseguiram concluir com sucesso. O roteirista do filme, Fabián Casas, é um dos escritores argentinos contemporâneos mais influenciados pela literatura de Borges. 

Garoto (Brasil, 2015, 70 minutos), de Julio Bressane
Inspirado no conto O Assassino Desinteressado Bill Harrigan, o filme acompanha um jovem casal que se encontra em um lugar encantado, onde experimentam uma aventura amorosa e espiritual. Tudo muda quando o rapaz, inesperadamente, comete um crime que conduz os dois à separação.

Em Busca de Borges (Brasil, 2016, 85 minutos), de Cristiano Burlan
Os escritos de Jorge Luis Borges mergulham o protagonista em um périplo entre as cidades de São Paulo, Buenos Aires e Genebra e o conduzem à fronteira entre a realidade e a evocação, entre o ser e o símbolo, entre a vida e a morte. 

25 de julho (terça)
20h10 - Invasão 

26 de julho (quarta)
20h10 - Garoto

27 de julho (quinta)
18h - Dias de Ódio 
20h - Paris nos Pertence

28 de julho (sexta)
18h - Jauja 
20h -  A Estratégia da Aranha 

29 de julho (sábado)
18h - Em Busca de Borges
20h - A Intrusa 

30 de julho (domingo)
18h - Jauja
20h - Dias de Ódio

1º de agosto (terça)
18h - Invasão
20h - Performance 

2 de agosto (quarta)
18h - Garoto
20h - O Navio dos Afogados 

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.