Atividade restrita

Fã de "Frozen", menino é proibido de participar de evento de princesas na Disney  

Hayley McLean-Glass, mãe de Noah, relatou a situação em seu blog

31/08/2017 - 12h11min | Atualizada em 31/08/2017 - 12h11min
Fã de "Frozen", menino é proibido de participar de evento de princesas na Disney   Sparkles & Stretchmarks  / Reprodução/Reprodução
Foto: Sparkles & Stretchmarks / Reprodução / Reprodução  

Mesmo sendo um grande fã do fenômeno Frozen, animação da Disney, o pequeno Noah, de apenas três anos, foi proibido de participar de um evento de princesas na Disneyland Paris. O motivo: ser um menino. As informações são do jornal O Globo.

¿Decidi agendar para ele a experiência como um presente de Natal antecipado. Eu sabia que não haveria nada que ele amaria mais do que colocar um vestido bonito, se maquiar como a mamãe faz e tirar uma foto com suas amadas princesas da Disney¿, escreveu Hayley McLean-Glass, mãe de Noah, em seu blog.

Leia mais
Disney apresenta casal lésbico inter-racial em animação infantil
"Procurando Dory" pode ter o primeiro casal gay da Disney

Mas a Disneyland Paris enviou um e-mail negando a participação do garoto. "Meu filho, que se apaixonou pelas princesas da Disney, não é permitido a ter as mesmas experiências que as meninas apenas porque é um menino?", reclamou a mãe.

Hayley fez duras críticas ao parque dizendo nunca ter esperado receber tal resposta. A mãe usou a internet para denunciar a posição da Disneyland Paris, que se diz progressista em relação à questão de gênero, tanto que realiza, no dia 20 de outubro, um evento para celebrar a diversidade.

Segundo Hayley, não se trata de um debate sobre homossexualidade e heterossexualidade, já que Noah "é uma criança, que quer ser como seu personagem favorito".

"Ninguém veria problema se fosse Jack Sparrow ou o Homem-Aranha, nem se Noah fosse uma menina. Mas porque ele é um menino e Elsa é uma princesa, 'não é permitido'", criticou a mãe. "Isso é absolutamente ridículo".

Em resposta, um porta-voz da Disneyland Paris disse ao Guardian que o episódio foi um mal entendido:

"Esta experiência é aberta a todas as crianças entre 3 e 12 anos de idade, e nós entramos em contato com a família para nos desculpar por termos dado uma informação imprecisa". 

No site, entretanto, a experiência é descrita como uma oportunidade para "dar a cada menina o desejo de realizar uma sessão de maquiagem e penteado de uma verdadeira princesa, uma transformação de conto de fadas que elas guardarão para sempre".

Leia outras notícias em ZH


 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.