Obituário

Morre o escritor Antonio Carlos Viana aos 72 anos

Autor de obras como "Cine Privê" e  "Jeito de matar lagartas", ele sofria com um mieloma, câncer na medula óssea

Por: Estadão Conteúdo
15/10/2016 - 14h29min | Atualizada em 15/10/2016 - 14h29min

O escritor e acadêmico Antonio Carlos Viana morreu na noite da última sexta-feira, em Aracaju-SE. Ele sofria com um mieloma – câncer na medula óssea. Viana já havia passado por um tratamento, mas a doença retornou.

Seu filho, o também escritor André Viana, publicou em sua página no Facebook:  "Vamos celebrar a vida de Antonio Carlos Viana hoje, sábado, 15 de outubro, na Biblioteca Epifanio Doria, em Aracaju. Digo evento, e não velório, porque acredito que a gente precise sair um pouco desse quartinho triste e escuro do fim da vida e bailar no salão iluminado dos grandes homens e mulheres, por que não? É pau, é pedra, mas não é o fim do caminho. É só mais um ciclo. E os ciclos devem ser comemorados". 

Leia mais
O que é mieloma múltiplo
Beatriz Bracher vence Prêmio São Paulo de Literatura 2016
Leandro Karnal, Thalita Rebouças e Adriana Calcanhotto são atrações da Feira do Livro de Porto Alegre

Nascido em Aracaju, Viana era mestre em teoria literária pela PUC-RS e doutor em literatura comparada pela Universidade de Nice, França, e além de um contista consagrado, considerado um dos maiores da literatura brasileira contemporânea, era tradutor e professor universitário aposentado. Entre suas obras publicadas, estão Brincar de manja (Cátedra, 1974), O meio e o mundo (Libra & Libra, 1993), Aberto está o inferno (Companhia das Letras, 2004), Cine Privê (Companhia das Letras, 2009), vencedor do prêmio APCA (Academia Brasileira de Críticos de Arte) como melhor livro de contos.

Lançada pela Companhia das Letras em 2015, Jeito de matar lagartas é a sua obra mais recente, que lhe rendeu seu segundo prêmio APCA na categoria contos daquele ano. 

Colegas e amigos escritores lamentaram a morte de Viana via redes sociais. O cronista e colunista do jornal O Estado de S. Paulo, Humberto Werneck, escreveu: "Um brinde, hoje e sempre, ao grande Antonio Carlos Viana, que se foi de vez nesta madrugada, em Aracaju, não sem antes nos legar sua arte superior".

O escritor carioca Marcelo Moutinho se disse atônito com a notícia. "Viana é referência para todo contista brasileiro. A relativa marginalização do conto em nosso universo literário nunca impediu que continuasse a se dedicar ao gênero. E o fez, sempre, com brilhantismo. Cada novo livro seu era uma aula de como escrever conto", escreveu em sua página no Facebook.

A editora Companhia das Letras também postou uma mensagem, prestando solidariedade à família e aos amigos de "um dos principais contistas do Brasil em atividade".

* Estadão Conteúdo

 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.