Fim de semana musical

Em domingo ensolarado, milhares se reúnem para assistir à abertura da Festa Nacional da Música 2016

Primeira apresentação do evento ficou por conta dos músicos da Ospa Jovem e do maestro Arthur Barbosa, que criaram um clima descontraído com o público que assistia ao concerto no Parque da Redenção

09/10/2016 - 15h06min | Atualizada em 09/10/2016 - 16h16min
Em domingo ensolarado, milhares se reúnem para assistir à abertura da Festa Nacional da Música 2016 Mateus Bruxel/Agencia RBS
Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS

Nem o sol forte – que acabou atrapalhando a afinação dos instrumentos, impondo uma pequena pausa na apresentação – afastou a multidão que se reuniu para assistir à abertura da Festa Nacional da Música 2016, na manhã deste domingo, no Parque da Redenção. Com um programa variado, os músicos da Ospa Jovem subiram ao palco montado ao lado do Monumento ao Expedicionário por volta das 11h30min, sob o comando do maestro Arthur Barbosa, após uma breve introdução sobre o festival e a proposta da Escola de Música da Ospa. 

E se antes dos músicos empunharem seus instrumentos havia um público animado, mas escasso, foi só o último movimento da Sinfonia nº 5, de Beethoven, começar a ecoar pelo parque para uma pequena multidão se amontoar para ouvir desde os clássicos da música de concerto até uma versão de Balaio, famosa na voz de Inezita Barroso. Houve quem chegasse já de cadeira em mãos para assistir ao espetáculo e também aqueles que, passando por ali, não resistiram ao clima descontraído, atípico dos concertos de música erudita.

Leia também
Clima ajuda e Festival BB de Blues e Jazz leva multidão à Redenção

Paula Fernandes lança DVD: "Larguei os brinquedos para tocar violão"
Caio Castro lança livro em Porto Alegre e enlouquece fãs

Clima informal, aliás, também incorporado pelo maestro: Barbosa contextualizava cada composição antes de executá-la com os instrumentistas, falando sobre seu autor, e ainda agradeceu ao "coral jovem de Porto Alegre" –referindo-se ao público, que cantava e batia palmas. 

Primeiro violinista da Ospa Jovem e membro desde a reabertura, em 2014, Dhouglas Umabel reforça a importância das apresentações ao ar livre na divulgação do gênero musical:

– É muito importante a gente ir atrás do público, aquele que muitas vezes não tem condições de ir até um concerto ou não tem como pagar pelo ingresso para ir até o Theatro São Pedro, por exemplo. É uma oportunidade. Às vezes as pessoas nem vêm com esse propósito e acabam assistindo – explica.

A tarde deste domingo na Festa Nacional da Música segue com shows tradicionalistas: Tchê Guri, Neto Fagundes, Antonio Villeroy, Guri de Uruguaiana, Luiz Carlos Borges e Shana Müller, entre outras atrações, encerram a abertura da Festa, que vai até o dia 19 com apresentações musicais em diversos lugares da Capital. Veja a programação completa em festanacionaldamusica.com.br.

 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.