Para dançar

Mezzo operária, mezzo diva, Céu apresenta disco "Tropix" no Opinião

Cantora faz show neste sábado na tradicional casa da Cidade Baixa

Por: Rafael Balsemão
07/10/2016 - 13h53min | Atualizada em 07/10/2016 - 14h00min
Mezzo operária, mezzo diva, Céu apresenta disco "Tropix" no Opinião Luiz Garrido/Divulgação
Foto: Luiz Garrido / Divulgação

Muitos críticos costumam dividir a carreira de Céu entre o antes e o depois do elogiado Tropix, disco lançado em março deste ano e que a cantora apresenta neste sábado aos porto-alegrenses em show no Opinião. A paulistana de 36 anos, entretanto, parece não concordar muito com essa demarcação:

— Para mim, a arte é feita de todos os processos. Não chegaria ao Tropix se não tivesse passado pelo CéU (2005), pelo Vagarosa (2009), pelo Caravana Sereia Bloom (2012). Não entendo muito bem essa ligação, essa trilogia. Se as pessoas acham isso, legal. Mas não vejo assim. Vejo como uma continuidade do meu trabalho.

Leia mais:
Apresentação dos Racionais MC's inaugura maratona de shows que celebra momento do rap nacional
MC Carol fala sobre feminismo em nova parceria com Karol Conká
Aerosmith é confirmado como atração do Rock in Rio

Faz sentido. Em suas primeiras apresentações, era possível observar a artista cantando de costas para o público. Aquela Céu não existe mais. A que desembarca na tradicional casa da Cidade Baixa deve colocar todo mundo para dançar. Mas as duas ainda são a mesma pessoa.

— Sou introspectiva e venci a timidez no palco. Acho bonita essa história. Se você for pensar, nenhum artista de fato é tímido. Com os anos se passando, fui elaborando, cada vez me soltando mais e hoje me sinto muito segura. E atribuo isso ao tempo de carreira. É claro que ainda tem aquele friozinho na barriga, mas isso é bom — afirma a artista.

A evolução foi tanta que a cantora parece estar bem perto de aceitar o título de diva, sempre negado por ela, apesar da insistência dos fãs em rotulá-la dessa maneira: 

— Aprendi que as coisas vão ser e são como são, entende? Parece uma bobagem, mas é tão real isso. Cada um vai sentir a sua música e a sua presença de uma maneira. Não tenho como controlar nada. Então, se a pessoa me acha diva, ótimo. Estou na música como uma operária. Era essa a minha maneira de dizer que não sou diva, que estou aqui trabalhando, ralando. Mas se as pessoas me veem assim, a força do palco é essa. Que bom, que delícia! Vou ser diva, não vou ser diva.

CÉU
Sábado, a partir das 18h30. Classificação: 14 anos.
Opinião (Rua José do Patrocínio, 834).
Ingressos: de R$ 55 (com a doação de 1kg de alimento não perecível ou agasalho) a R$ 140. Pontos de venda: loja Youcom do Bourbon Wallig (sem taxa de conveniência e com pagamento somente em dinheiro); lojas Youcom dos shoppings Praia de Belas, Bourbon Ipiranga, Barra e Bourbon Novo Hamburgo; Multisom Andradas 1001, Canoas Shopping e Bourbon São Leopoldo (todos com cobrança de taxa e somente em dinheiro); site www.minhaentrada.com.br/opiniao (com cobrança de taxa).

Foto: Luiz Garrido / Divulgação


 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.