Para aquecer o coração

A um mês do show de Paul McCartney em Porto Alegre, veja dicas de álbuns e shows marcantes do beatle para se preparar 

Astro da música pop retorna à Capital em 13 de outubro, com a turnê "One on One"

12/09/2017 - 14h54min | Atualizada em 12/09/2017 - 14h54min
A um mês do show de Paul McCartney em Porto Alegre, veja dicas de álbuns e shows marcantes do beatle para se preparar  Justin Talles/AFP
Foto: Justin Talles / AFP  

Paul McCartney retomou, na segunda-feira (11), a turnê One on One, que desembarca no Brasil em outubro com uma nova parada em Porto Alegre, no dia 13. Daqui a exato um mês, o grande astro da música pop volta a tocar no Estádio Beira-Rio, palco da sua antológica passagem pela Capital em 2010. No show que fez em Newark (EUA), ele tocou 38 faixas, pescando em seu vasto repertório clássicos dos Beatles (A Hard Day's Night,  I've Got a Feeling, Eleanor Rigby, Let It Be e Hey Jude, entre outros tantos), sucessos da carreira solo (como Maybe I'm Amazed) e canções que consagrou com o grupo Wings (Band on the Run e Live and Let Die).

Paul lembra ainda In Spite of All the Danger, música que ele, John Lennon e George Harrison gravaram como os Quarrymen, grupo embrionário dos Beatles. Entre as novidades que vem mostrando na turnê, estão FourFiveSeconds, projeto em parceria com Rihanna e Kanye West, e temas de seu disco solo mais recente, New (2013): a faixa-título, Save Us e Queenie Eye. Enquanto Sir Paul McCartney não chega, leia algumas dicas para aquecer seu coração e conhecer um pouco mais a história e a trajetória deste gigante.

Leia também
Cem dias para o show em POA: Paul McCartney tem sua vida passada a limpo em biografia
Como foram as 37 horas da passagem do beatle pela capital gaúcha em 2010
Paul McCartney em Porto Alegre: relembre o setlist do primeiro show do beatle na Capital, em 2010 

Paul McCartney – A Biografia (2016)
Lançado este ano no Brasil, o livro do jornalista inglês Philip Norman faz uma detalhada incursão pela vida e obra do eterno beatle. O relato vai do relacionamento entre seus pais, Jim e Mary, sua infância, o trauma encarado com a perda prematura de mãe, a adolescência, até o período que é notoriamente público: seu imenso sucesso com os Beatles e na carreira solo – abordando pelo caminho também aspectos da vida privada, como o envolvimento com drogas e os relacionamentos problemáticos. O livro destaca ainda os múltiplos interesses intelectuais de Paul (artes visuais, poesia e música clássica) e seu reconhecido talento empresarial.

TRÊS DISCOS

McCartney (1970)
Em  seu primeiro disco solo, lançado uma semana após anunciar a saída dos Beatles, toca todos os instrumentos. Entre as faixas, está aquela que fãs e críticos elegem como sua obra-prima e o próprio Paul tem como favorita, Maybe I'm Amazed.

Band on the Run (1973)
À frente do grupo Wings, acompanhado por sua mulher, Linda, Paul emplacou uma fase de grande sucesso. Deste aclamado terceiro disco da banda, gravado em Lagos, na Nigéria, tornaram-se hits Jet, Let me Roll it, Mrs. Vandebilt e a faixa-título, entre outras.

Pure McCartney (2016)
Esse álbum duplo faz um amplo apanhado da carreira solo do músico, incluído o single Live and Let Die, tema do filme 007 – Viva e Deixa Morrer e as memoráveis parcerias com Stevie Wonder (Ebony and Ivory) e Michael Jackson (Say, Say, Say).

TRÊS DVDS

Rockshow (1980)
Esse registro da turnê de 1976 do Wings pelos EUA dá a dimensão da estatura de McCartney sem a sombra dos Beatles. Nesse período de auge, foi gravado também o disco triplo ao vivo Wings Over America (1976). Em destaque, My Love, composta para sua amada companheira de palco Linda

The Space Within Us (2006)
Show de lançamento do disco Chaos and Creation in the Backyard (2006). A gravação da perna norte-americana da turnê traz a mescla de repertório que Paul segue apresentando com a mesma banda: Rusty Anderson e Brian Ray nas guitarras, Abe Laboriel Jr.na bateria e Paul “Wix” Wickens nos teclados.

Live Kisses (2012)
Em 2012, Paul McCartney gravou no disco Kisses On The Bottom clássicos do jazz que costumava ouvir na casa de seus pais, além de composições próprias. O registro ao vivo do projeto, no estúdio Capitol, em Hollywood, destaca a participação de nomes como a pianista Diana Krall.