Assim nasceu o BRock

Série de eventos que marcaram o tsunami sonoro BRock completa trinta anos

Relembre os álbuns seminais deste grande momento do rock nacional

21/06/2012 | 05h33
Série de eventos que marcaram o tsunami sonoro BRock completa trinta anos José Luiz Pederneiras/Divulgação
Lançado em 1982, o primeiro disco da Blitz foi um marco no pop rock nacional Foto: José Luiz Pederneiras / Divulgação

O cenário foi literalmente armado quando ergueu-se, em janeiro de 1982, a lona do Circo Voador na praia carioca do Arpoador – e logo depois se mudaria para os Arcos da Lapa. Em março, entrou no ar a Fluminense FM, rádio de Niterói que foi a porta- voz das fitas demo da turma que consolidou o pop rock nacional como um fenômeno de massa. 

Então, em junho, veio a explosão: Você Não Soube me Amar, a única faixa do compacto da banda Blitz tomou conta do Brasil.

O tsunami sonoro batizado BRrock teve como epicentro o Rio de Janeiro, mas seu efeito consolidou em cidades como São Paulo, Brasília e Porto Alegre o espaço, a popularidade e o interesse das gravadores por uma nova geração de bandas e artistas.

Confira os principais protagonistas deste marco zero:

Blitz

Nem os protagonistas do fenômeno sabem explicá-lo direito. Músicos surfistas e artistas de teatro faziam canções para se divertir em luaus à beira-mar, – o nome da banda surgiu com os atraques da polícia naquela turma de hippies sempre em busca de praias desertas e boas ondas. A brincadeira começou a ficar séria nos palcos de bares cariocas. O sucesso junto à garotada naquele verão de 1982 mostrou o potencial da divertida mistura de música e performance cênica que tinha à frente o carismático ator Evandro Mesquita, egresso da trupe teatral Astrúbal Trouxe o Trombone.

Contratados pela EMI-Odeon, gravaram o compacto com Você Não Soube me Amar, faixa com refrão grudento e o diálogo em primeira pessoa (de Evandro com as vocalistas Fernanda Abreu e Marcia Bulcão). "Ok, você venceu, batata frita"... e o resto é história. Em setembro, chegou o álbum As Aventuras da Blitz, com mais hits – como Mais Uma de Amor (Geme Geme) – e duas faixas censuradas (era tempo de ditadura militar), que foram riscadas e inutilizadas no LP. Fama, grana e estresses da vida na estrada abreviaram a trajetória da Blitz, que gravou mais dois discos com sua formação clássica e deu uma pausa após o show consagrador no Rock in Rio, em 1985 – Evandro passou a reativar a banda de forma sazonal.

Confira entrevista com o músico e ator Evandro Mesquita

Blitz - Mais Uma de Amor

Blitz - Você Não Soube Me Amar

Lulu Santos

Luiz "Lulu" Maurício Pragana dos Santos tocou em diferentes grupos até se consagrar como ótimo guitarrista na banda de rock progressivo Vímana, ao lado de Lobão e Ritchie, na qual ficou entre 1974 e 1977. Foi contratado pela WEA em 1981, lançando o compacto de Tesouros da Juventude, faixa incluída na trilha do filme Menino do Rio – que tinha ainda outra composição sua, De Repente Califórnia, na voz de Ricardo Graça Mello. Em junho de 1982, em meio ao estouro da Blitz com Você Não Soube me Amar, Lulu lançou o primeiro LP, Tempos Modernos, puxado pela faixa título. O disco trazia ainda sua própria versão para De Repente Califórnia, Areias Escaldantes e De Leve, cover de Get Back, dos Beatles, assinado por Rita Lee. Lulu, grande hitmaker do pop nacional, emendaria um sucesso atrás do outro na sua exitosa trajetória.

Lulu Santos - Tempos Modernos

Barão Vermelho

Parte desta história está contada no filme Cazuza – O Tempo Não Para. Grupo de garotos apaixonados por rock 'n' roll cruza com um cantor figuraça que compartilha da mesma paixão sem deixar de reverenciar Cartola. O fato de Cazuza ser filho do presidente da gravadora Som Livre era mais entrave do que a certeza de uma porta aberta. Mas o produtor da gravadora, o respeitado crítico musical Ezequiel Neves, deu aval para que Cazuza, o guitarrista Roberto Frejat e seus parceiros registrassem a visceral mistura de rock, blues e dor de cotovelo. O disco homônimo saiu em 15 de setembro de 1982, sem grande repercussão. Por essa época, o Barão fez um show para gatos pingados no Leopoldina Juvenil, na Capital. O sucesso viria com os dois discos seguintes gravados com Cazuza, que após o histórico show no Rock in Rio de 1985 seguiu carreira solo.

Barão Vermelho - Ponto Fraco

 

Lobão

João Luiz Woerdenbag Filho, o Lobão, começou sua trajetória no rock nacional tocando bateria no grupo Vímana, que tinha entre os integrantes Ritchie e Lulu Santos. Fazia parte da trupe da Blitz, mas, sem conseguir abrir espaço para suas próprias composições, pulou fora momentos antes do sucesso nacional da banda. Foi à luta em carreira solo e gravou – com apoio de Lulu, Ritchie e Marina Lima – seu primeiro disco, Cena de Cinema, numa fita deixada na rádio Fluminense FM. Os ouvintes gostaram, e a gravadora RCA decidiu contratá-lo, lançando o álbum em novembro de 1982 – a faixa título despontou como seu primeiro hit. Lobão já gravou dezenas de discos, protagonizou polêmicas, investiu na produção independente e contou sua história na autobiografia 50 Anos a Mil, que deve virar filme.

Lobão - Cena de Cinema

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.