Música em imagens

Livro de referência conta a história da MPB em 400 fotos

Coletânea abarca a música popular produzida no século 20

29/07/2012 | 18h18
Livro de referência conta a história da MPB em 400 fotos Sony/Divulgação
Elis & Tom, gravado em 1974, é considerado por boa parte da crítica o melhor disco da música brasileira Foto: Sony / Divulgação

As origens da MPB, os principais compositores e intérpretes de 1890 a 1990, década a década, de Chiquinha Gonzaga a Marisa Monte, de Catulo da Paixão Cearense a Zezé Di Camargo e Luciano. Relançamento aguardado, MPB – A História de Um Século é um livrão de 528 páginas que serve de referência a quem quer entender os rumos dessa trajetória, e acompanhá-la em fotografias.

São 400 imagens de artistas de “importância decisiva”, entre amarelados registros de Patápio Silva, Ernesto Nazareth, Heitor dos Prazeres e Pixinguinha, imagens icônicas das gerações bossa nova (Tom Jobim, Vinicius de Moraes, Roberto Menescal, Ronaldo Bôscoli, Carlos Lyra e companhia, Sérgio Mendes e o Brasil-66 posando com Nixon em Washington), da música de protesto, festivais, jovem guarda, até chegar aos anos 1990 do pagode e do sertanejo pop. A publicação culmina na “nova MPB” que também estourou ali: Marisa Monte, Cássia Eller, Chico César, Zélia Duncan, alguns modismos passageiros e fenômenos femininos que se perpetuaram (Ivete Sangalo, Ana Carolina).

Já a novíssima MPB não entrou.

– O espírito do livro foi se ater ao século 20, que foi o consolidador e definidor da MPB. O século 21 está começando ainda, não dá para se ter uma apreciação crítico-histórica – diz Ricardo Cravo Albin, pesquisador aplicado e diretor do Museu da Imagem e do Som entre 1965 e 1971.

Se a definição do que é MPB pode ser controversa, para Cravo Albin não haveria sentido dividi-la em gêneros.

– A indústria fonográfica é que separa em gêneros mercadológicos. Dizer que MPB é apenas Chico Buarque é uma tolice sem paralelo. MPB é um título geral, que abrange o rock, a música sertaneja, regional, é um grande guarda-chuva.

Atualmente, é do Instituto Cravo Albin o mais confiável banco de dados online sobre essa história, o dicionário disponível em dicionariompb.com.br.

Breve história

O livro MPB – A História de Um Século é de 1998, estava esgotado desde o lançamento e nunca havia sido atualizado. Divide-se em duas partes: na primeira, atém-se às origens da MPB, ou “uma breve história” de cem anos, com capas de discos e resumos biográficos e contextualização na linha do tempo da MPB.

“O nascimento dos primeiros indícios de música popular brasileira se deu há cerca de 200 anos”, explica o texto, sendo um dos “mais remotos registros de canto popular” os do poeta baiano Gregório de Matos. Mas as bases do que temos hoje só seriam fixadas na segunda metade do século 19, com os lundus e modinhas de pioneiros como Xisto Bahia, Chiquinha Gonzaga e Joaquim Callado, o samba de Donga e João da Baiana, o choro e os conjuntos instrumentais.

Seguem-se anos dourados, de canções de Silvio Caldas & Orestes Barbosa, Ari Barroso e Ataulfo Alves e vozes como Carmen Miranda e Orlando Silva, uma certa profissionalização, a modernização trazida pela bossa. E daí por diante, até chegar a Roberto Carlos, Gil, Caetano e os roqueiros dos anos 1980. Na segunda parte, vêm os maiores nomes de cada década, na forma de verbetes, e as fotos.

Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.