Meu toró de lágrimas

Estreia nos cinemas nova adaptação de "Meu Pé de Laranja Lima"

Filme é uma produção caprichada, em que se destacam a música e a fotografia

18/04/2013 | 23h52
Estreia nos cinemas nova adaptação de "Meu Pé de Laranja Lima" Camila Botelho/Divulgação
Ator João Guilherme Ávila interpreta o protagonista de "Meu Pé de Laranja Lima" Foto: Camila Botelho / Divulgação
Atire a primeira laranja lima quem foi criança nos anos 1970 e não se debulhou em lágrimas com o clássico juvenil escrito por José Mauro de Vasconcelos (1920 – 1984) ou com o filme dirigido por Aurélio Teixeira sobre o pobre e desventurado moleque Zezé.

O chororô de Meu Pé de Laranja Lima volta às telas 45 anos depois de sua estreia em livro. A adaptação de Marcos Bernstein, porém, evita o sentimentalismo fácil e busca a essência delicada e melancólica da história.

Leitura obrigatória em escolas brasileiras, o romance Meu Pé de Laranja Lima foi publicado em 1968, traduzido depois para cerca de 30 línguas e publicado em mais de 20 países. Em 1970, o diretor Aurélio Teixeira levou para o cinema a história do incompreendido guri do interior que apanha de todo mundo – o texto inspirou ainda três telenovelas. O diretor e roteirista Marcos Bernstein, de O Outro Lado da Rua (2004), revisitou esse material que já rendeu tanto melodrama piedoso – mas essa nova abordagem do enredo prefere enfatizar a solidão e os sonhos dos personagens, sem ignorar os eventos cruéis que também caracterizam a trama.

O novo Meu Pé de Laranja Lima começa com o autor do livro (interpretado por Caco Ciocler) recebendo a edição recém-impressa de sua obra. A partir daí, o roteiro de Bernstein e Melanie Dimantas volta no tempo para mostrar a infância do protagonista no interior mineiro: um dos cinco filhos de uma família humilde, Zezé (o estreante em longa-metragens João Guilherme Ávila) tem quase oito anos e vive sempre metido em encrencas por conta de suas traquinagens. Em meio a surras do pai, arteirices e brincadeiras ao lado do irmão mais novo, Zezé encontra companhia apenas em duas figuras: o pé de laranja lima do quintal de casa, com quem conversa como se fosse um amigo de verdade, e o misterioso Portuga (José de Abreu), homem solitário que se encanta com a esperteza do pequeno e passa a desenvolver por ele um sentimento paternal.

Meu Pé de Laranja Lima tem uma produção caprichada, em que se destacam a música do francês de origem marroquina Armand Amar – ganhador do César de melhor trilha sonora por O Concerto (2009) – e, principalmente, a excelente fotografia de Gustavo Hadba, que registra com sensibilidade estética o aspecto nostálgico dos cenários rurais. O lastro, entretanto, está mesmo no elenco: José de Abreu imprime emoção e verdade a seu papel, enquanto os ótimos atores Eduardo Dascar, Fernanda Vianna, Inês Peixoto e Eduardo Moreira (os três últimos integrantes do mineiro Grupo Galpão) seguram a densidade dramática. Cabe ao pitoco João Guilherme Ávila, hoje com 11 anos, a difícil tarefa de encarnar o protagonista do filme, permanecendo em cena praticamente o tempo todo – e o ator mirim se sai muito bem, ajudado por seu triste olhar caído.

Meu Pé de Laranja Lima
De Marcos Bernstein. Com João Guilherme Ávila, José de Abreu, Eduardo Dascar, Fernanda Vianna e Caco Ciocler.
Drama, Brasil, 2012.
Duração: 99 minutos. Classificação: 10 anos.
Estreia sexta-feira no circuito
Cotação: 3/5

Confira outras dicas para o final de semana:

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.