Notícias do céu

Obra que simula queda de satélite em Porto Alegre abre 9ª Bienal do Mercosul

Exposições serão abertas ao público na sexta-feira e seguem até o dia 10 de novembro

12/09/2013 | 04h39
Obra que simula queda de satélite em Porto Alegre abre 9ª Bienal do Mercosul Félix Zucco/Agencia RBS
Em voo de helicóptero, ZH registrou obra de artista polonesa que simula destroços de um satélite que caiu na orla do Guaíba Foto: Félix Zucco / Agencia RBS

Destroços encontrados na orla do Guaíba indicam que um satélite caiu em Porto Alegre. O que pode parecer um fato extraordinário é, na verdade, um acontecimento fictício criado para a divulgação da 9ª Bienal do Mercosul, que será inaugurada nesta quinta-feira, às 19h, no Memorial do Rio Grande do Sul. A partir das 9h de sexta-feira, as exposições estarão abertas para o público, com entrada gratuita.

— É uma grande sorte que o satélite tenha caído e faça parte da Bienal — felicitou a curadora mexicana Sofía Hernández Chong Cuy, na apresentação à imprensa, na manhã de quarta-feira.

Usada para sinalizar o início da Bienal, a instalação foi concebida pela artista polonesa Aleksandra Mir, que criou uma estrutura de cerca de 20 metros de comprimento usando materiais e objetos descartados por indústrias locais. Além de promover a abertura do evento, o “satélite” também situa a temática que norteia esta edição. A 9ª Bienal aposta nas relações entre arte, ciência e natureza, apresentando artistas que exploram experimentos e invenções em seus processos criativos.

>> Veja página especial com reportagens sobre a 9ª Bienal do Mercosul

Foram escalados 59 nomes, entre artistas, duplas e coletivos, representando 26 países – entre os 15 brasileiros, 10 são gaúchos. No lançamento para a imprensa, a curadora destacou as obras realizadas especialmente para a Bienal, em colaboração com indústrias e centros de pesquisa do Estado:

— As colaborações que resultaram nos projetos comissionados são o que distinguem esta Bienal — disse.

O evento também incluiu em seu nome a cidade que a hospeda desde 1997, passando a se chamar 9ª Bienal do Mercosul | Porto Alegre.

— Assim, a Bienal se expande pelo mundo e fortifica-se em Porto Alegre — disse a presidente da Bienal, Patricia Fossati Druck, na apresentação à imprensa, após destacar o envolvimento do empresariado gaúcho com o evento.

Nesta edição, a Bienal não contará com seu cartão-postal, os armazéns do Cais do Porto, em função das reformas previstas no local. Por isso, as mostras serão apresentadas no Museu de Arte do Rio Grande do Sul (Margs), no Santander Cultural, no Memorial do Rio Grande do Sul e na Usina do Gasômetro. Uma programação paralela será realizada em outros locais.

Na tarde de quarta-feira, ZH sobrevoou de helicóptero, na companhia de Sofía, os quatro espaços de exposição, a Ilha das Pedras Brancas, no Guaíba (para onde estão sendo levados artistas em expedições artísticas), e os “destroços” do satélite de Aleksandra Mir.

Orçada em R$ 12,53 milhões, a Bienal apresenta suas exposições e atividades até 10 de novembro.

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.