Rir é o remédio

Cinema brasileiro bate recorde de bilheteria em 2013 graças às comédias

Entre janeiro e novembro, foram mais de 25,4 milhões de bilhetes comercializados

17/12/2013 | 16h12
Cinema brasileiro bate recorde de bilheteria em 2013 graças às comédias MARIANA VIANNA/Extra
4,7 milhões assistiram a "De Pernas pro Ar 2" desde dezembro de 2012 Foto: MARIANA VIANNA / Extra

As comédias conseguiram. Graças ao desempenho de Minha Mãe É uma Peça, Vai que Dá Certo, Meu Passado me Condena e De Pernas pro Ar 2, o cinema brasileiro vai fechar 2013 com o recorde de ingressos vendidos desde a retomada da produção, nos anos 1990.

Entre janeiro e novembro, foram mais de 25,4 milhões de bilhetes comercializados, o que dá a perspectiva de que, até o fim de dezembro, os 25,6 milhões vendidos em 2010 (quase a metade disso devido ao fenômeno Tropa de Elite 2, que configuravam o recorde até então) sejam facilmente ultrapassados. Outro recorde: o número de filmes brasileiros lançados neste ano também deve superar com folga uma centena, talvez chegando a 115 (nos últimos anos, a média foi de 85, às vezes um pouco mais, noutras menos).

A participação no mercado quase dobrará, na comparação com a temporada passada. Se, em 2012, 10,6% dos espectadores que foram às salas do país escolheram uma produção nacional para assistir, em 2013 a porcentagem deve ser superior a 19%, projeta o Filme B, principal referência do assunto no Brasil.

- É interessante observar que o investimento nas comédias não veio do nada, mas de uma constatação de que havia interesse pelo gênero - comenta o crítico Pedro Butcher, editor do Filme B. - No começo da retomada, quase não se produziam comédias. Era como se o cinema brasileiro quisesse, antes de tudo, recuperar o respeito e o prestígio. Aos poucos, o cenário foi mudando e se criaram condições para uma produção mais ágil, que não depende tanto das leis de incentivo.

A descoberta do caminho de fartura (ou quase isso, vai) pode não significar quebra de recordes todos os anos, mas certamente assegurará uma participação mínima no mercado, o que faz com que a produção não fique dependente de fenômenos isolados para se consolidar. Vale lembrar que, se essa garantia se dá com filmes de qualidade inferior, caso das comédias populares com personagens da televisão, isto não é uma exclusividade brasileira - o gênero também é fundamental para a difusão do produto nacional em países como França, Itália e Alemanha.

Além disso, também os filmes "médios" tiveram boa participação no mercado, particularmente as biografias musicais - Faroeste Caboclo e Somos Tão Jovens, que juntos levaram 3,1 milhões de pessoas aos cinemas em 2013, pertencem a um nicho no qual também está inserido Gonzaga - De Pai para Filho, sucesso de 2012. Com a digitalização das salas, a distribuição desses filmes deve ficar mais barata, observa Butcher, "o que também deve fortalecer os médios nos próximos anos".

E o que permite concluir que o futuro, em termos de mercado, pode ter números ainda mais positivos do que os de 2013.

10 campeões brasileiros de bilheteria de 2013 (em ingressos vendidos):

> Minha Mãe É uma Peça - 4,6 milhões
> Vai que Dá Certo - 2,7 milhões
> Meu Passado me Condena - 2,4 milhões
> Somos Tão Jovens - 1,7 milhão
> Faroeste Caboclo - 1,4 milhão
> O Concurso - 1,3 milhão
> Mato sem Cachorro - 1,1 milhão
> Crô - O Filme - mais de 800 mil
> O Tempo e o Vento -  mais de 700 mil
> Cine Holliúdy e Odeio o Dia dos Namorados - mais de 400 mil

* Crô - O Filme recém completou 10 dias em cartaz.
** Outros candidatos a filmes populares que vão estrear até o fim do ano são a animação Minhocas (estreia nesta sexta-feira) e a comédia Até que a Sorte nos Separe 2 (em 27 de dezembro).
*** De Pernas pro Ar 2 ultrapassou a marca de 4,7 milhões de ingressos vendidos, mas, como estreou na última semana de 2012, entra na lista das estreias do ano passado.

10 apostas de grandes públicos para o início de 2014 (e suas previsões de estreia):

> Confissões de Adolescente, de Daniel Filho (10 de janeiro)
> Muita Calma Nessa Hora 2, de Felipe Joffily (17 de janeiro)
> Amazônia 3D, de de Thierry Ragobert (31 de janeiro)
> Tim Maia, de Mauro Lima (14 de março)
> Joãosinho Trinta, de Paulo Machline (14 de março)
> S.O.S. Mulheres ao Mar, de Cris D'Amato (14 de março)
> Confia em Mim, de Michel Tikhomiroff (28 de março)
> Paulo Coelho - Não Pare na Pista, de Daniel Augusto (4 de abril)
> Complexo do Alemão, de José Eduardo Belmonte (18 de abril)
> Copa de Elite, Vitor Brandt (18 de abril)

Notícias Relacionadas

Candidatas 28/01/2013 | 16h04

Indicadas ao Oscar, Jennifer Lawrence e Jessica Chastain são estrelas em ascensão em Hollywood

Jennifer ganhou o SAG Awards no domingo e tem boas chances de levar a estatueta no dia 24 de fevereiro

Caça a Bin Laden 14/01/2013 | 12h39

Preterida no Oscar, 'A Hora Mais Escura' lidera bilheterias norte-americanas

Longa, que arrecadou 24 milhões, superou a comédia "Inatividade Paranormal" e o drama "Caça aos Gângsteres"

Polêmica acesa 24/12/2012 | 10h31

CIA se opõe a forma como busca por Osama Bin Laden é retratada no filme 'A Hora Mais Escura'

Diretor da agência, Michael Morell chamou tortura de prisioneiros de "interrogação aprimorada" e disse que o filme "abusa da licença artística"

Prêmio à vista 04/12/2012 | 09h29

Filme sobre caçada a Bin Laden ganha prêmio da crítica em Nova York

Premiação precoce de "Zero Dark Thirty", novo filme da ganhadora do Oscar em 2010 com "Guerra ao Terror", reforça os boatos de uma possível estatueta em 2013

 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.