Cidade Maravilhosa

Ator Russell Crowe divulga o filme 'Noé' no Rio de Janeiro

O épico bíblico entra em cartaz nos cinemas no dia 3 de abril

21/03/2014 | 16h37
Ator Russell Crowe divulga o filme 'Noé' no Rio de Janeiro Felipe Assumpção/Léo Marinho/AgNews
Russel Crowe é o protagonista de "Noé" Foto: Felipe Assumpção/Léo Marinho / AgNews

O ator Russell Crowe participou de uma coletiva de imprensa de divulgação do filme Noé na tarde desta sexta-feira (21/3), em um hotel da zona sul do Rio. Dirigido por Darren Aronofosky (de filmes como Cisne Negro e O Lutador), o épico sobre o patriarca bíblico e a construção da arca que salvou sua família e o reino animal do Dilúvio estreia no Brasil no dia 3 de abril – em versões 3D e convencionais. Além do astro neozelandês, Noé conta no elenco com Jennifer Connelly, Anthony Hopkins, Ray Winstone, Emma Watson e Logan Lerman.

O Rio de Janeiro foi a terceira cidade visitada por Crowe na turnê de promoção do longa – o ator esteve primeiro em Moscou e Roma, e ainda irá à Cidade do México e Nova York. Antes de vir ao Brasil, o oscarizado protagonista de Gladiador (2000) visitou o Vaticano, onde teria uma audiência com o Papa. Orçado em US$ 150 milhões, Noé foi rodado nas vulcânicas e desérticas paisagens da Islândia e em um estúdio em Nova York – onde a produção enfrentou um toró bíblico de 36 dias e o furacão Sandy.

Antes do encontro da imprensa, Crowe andou com a bicicleta que comprou em Moscou, pedalando pela orla da praia de Ipanema até o bairro de Laranjeiras. Depois, ainda fez questão de visitar o mirante de Dona Marta – passeio que atrasou a coletiva com jornalistas em mais de uma hora.

– Desculpa o atraso. Mas resolvi dar um passeio pela bela cidade de vocês. Foi a melhor decisão que tomei. Há carros em todo o lugar, a gente não sabe por onde as bicicletas devem ir e por onde os carros passam – justificou Crowe, que está visitando a Cidade Maravilhosa pela primeira vez.

O ator falou sobre a preparação física para o papel – ele disse que levantava pesos de cerca de 188 quilos para ficar como um “homem-touro” – e de sua relação com o personagem:

– Quando comecei esse processo eu tinha um conhecimento limitado de Noé, que acredito que a maioria das pessoas têm. Quando comecei a estudar, percebi que essa não é uma história religiosa, mas da formação da humanidade. Tem muitas histórias no filme que, se você procurar no livro, não estão lá. O diretor começou esse filme há 13 anos, quando escreveu um poema sobre Noé. Ele ficou famoso e conseguiu fazer o que queria.

Crowe comentou sobre a censura a Noé em países como Catar, Bahrein e Emirados Árabes Unidos:

– O que eles vão perder é a oportunidade de discussão. Você pode ter fé ou não, mas quando você sai do filme fica se questionando. Não foi surpresa para os produtores que alguns países islâmicos tenham proibido o filme, já que a religião deles não permite a representação de figuras cultuadas.

Crowe anunciou em seu perfil no Twitter que o Papa Francisco deveria assistir ao filme – mas seu encontro com o pontífice, que aconteceria na última quarta-feira, foi cancelado: o artista participou apenas de uma missa celebrada por ele.

– Com toda a controvérsia que tem surgido em torno do filme, o fato de o Papa ter nos convidado para a missa é maravilhoso. Isso provou a consistência e a gentileza que ele tem demonstrado desde que assumiu o cargo. Foi muito bonito. Foi um incrível privilégio estar na presença dele.

Perguntado por Zero Hora sobre como foi voltar a trabalhar com Jennifer Connely, sua colega em Uma Mente Brilhante, e Anthony Hopkins, com quem atuou em Um Visitante Inesperado (1991), Crowe aproveitou para estender os elogios a todo o elenco de Noé.

– Trabalhar com Jennifer foi maravilhoso. Já tínhamos uma intimidade grande porque atuamos no filme Uma Mente Brilhante e, pela natureza dos personagens, ficamos muito próximos (a atriz interpreta Naameh, a mulher de Noé). Foi ótimo reencontrá-la. Já eu e Anthony somos amigos há muito tempo. Passamos algumas noites incríveis juntos. Ele adora cantar.

Outro assunto levantado foi sua relação com animais – Russell Crowe possui um rancho.

– Foi uma combinação interessante: Darren é vegetariano, eu crio gado. Eu amo animais. Tenho uma conexão espiritual forte com eles. Se vocês virem meus filmes, dá para perceber que tenho uma intimidade com cavalos. O que ficou para mim nesse filme é ver que não lidamos com os animais com o respeito que eles merecem. Se nós olhássemos os animais com dignidade, também mudaríamos a forma como olhamos para nós mesmos – disse o ator, lamentando que em “Noé” os animais que embarcam na arca não são de verdade: 

– Foi muito decepcionante quando descobri que os animais seriam digitais. Não acreditei que não teríamos os animais entrando na arca!

No final, Crowe ainda comentou as chances de seu país na Copa do Mundo:

– Eu aposto na Austrália (risos). Ah, agora vocês riram. Mas vai que acontece, né? Vocês provavelmente estão muito animados. Mas vocês têm de resolver a questão do tráfego: para subir no Cristo Redentor, que é o principal ponto turístico, por exemplo, é uma confusão de gente subindo e descendo. Vocês receberão muita atenção nos próximos anos, com a Copa e as Olimpíadas, seria bom tentar cuidar desse caos no trânsito.

* O repórter viajou a convite da Paramount Pictures.

 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.