Que comece a maratona

50 filmes a que você tem que assistir na Netflix

De "12 anos de escravidão" a "O Primeiro Mentiroso"

23/07/2014 - 09h01min | Atualizada em 24/02/2017 - 13h39min
50 filmes a que você tem que assistir na Netflix RT Features/Divulgação
Cena do filme "O Silêncio do Céu", com Leonardo Sbaraglia e Carolina Dieckmann Foto: RT Features / Divulgação  

A lista dos 50 filmes que você tem que assistir na Netflix foi atualizada no dia 22 de fevereiro de 2017. 

É conhecida uma piada que diz que o assinante da Netflix passa mais tempo escolhendo o filme a que vai assistir do que, de fato, o assistindo. Isso porque o catálogo do serviço de streaming é gigante e a organização dos títulos no site ou nos aplicativos não é das melhores.

Leia mais
50 séries para ver na Netflix
Cinco filmes sobre futebol para ver na Netflix
Netflix: confira 16 séries dos quatro cantos do mundo

Para ajudar, ZH lista meia centena de filmes imperdíveis que você pode garimpar da imensa lista do serviço.

1. 12 anos de escravidão

Baseado nas memórias escritas de Solomon Northup (Chiwetel Ejiofor), drama conta a história de um violinista negro sequestrado em 1841 e forçado por um senhor de escravos (Michael Fassbender) a trabalhar em suas terras, sendo libertado por um advogado (Brad Pitt) apenas 12 anos depois. Dirigido por Steve McQueen (de Fome e Shame), o filme ganhou os Oscar de melhor filme, melhor roteiro adaptado e melhor atriz coadjuvante (Lupita Nyong'o).



2. Elysium

Hoje estrela do seriado Narcos, onde vive o traficante colombiano Pablo Escobar, o brasileiro Wagner Moura começou a se destacar no Exterior vivendo um papel nesta trama distópica localizada em 2159. A Terra devastada ficou restrita aos párias. A elite agora vive em uma paradisíaca estação espacial, que será alvo de uma rebelião promovida por um homem que deseja ali chegar para salvar a vida de sua mulher.

 

3. Cisne negro

Drama que rendeu a Natalie Portman o Oscar de melhor atriz, neste filme de Darren Aronofsky ela vive uma bailarina que tem um surto psicótico diante do desafio de ser a solista da companhia na encenação de O lago dos cisnes.

4. Sing Street – Música e sonho

Reverenciando a estética e a música pop dos anos 1980, Sing Street - Música e sonho pode ser visto como um Stranger Things musical. Dirigido por John Carney, também responsável por Mesmo se nada der certo (2013) e Apenas uma vez (2006), o drama irlandês se passa em Dublin. Na trama, o adolescente Conor (Ferdia Walsh-Peelo) se apaixona pela misteriosa Raphina (Lucy Boynton), uma jovem aspirante a modelo. Para conquistá-la, ele monta uma banda para convidá-la a participar de um clipe.



5. O Menino do Pijama Listrado


Esse filme de 2008 adapta para o cinema a emocionante história contada no livro homônimo de 2007, de um menino que se muda de Berlim para a Polônia durante o nazismo e acaba fazendo amizade com um menino polonês.

6. O lobo de Wall Street

Quinto filme da parceria entre Martin Scorsese e Leonardo DiCaprio, longa é uma adaptação da autobiografia de Jordan Belfort – corretor da bolsa de Nova York que se envolveu em caso de fraude nos anos 1990. Apresentando a ascensão e queda de Belfort, o longa mostra o lado cômico dos crimes do colarinho branco, além das insanidades decorrentes da ostentação – como festa arremessando anões nos escritório e muitas drogas.

Em 10 anos, preço do cinema mais que dobrou em Porto Alegre

7. Sob a Sombra

Atração da edição 2016 do Festival Internacional de Cinema Fantástico de Porto Alegre (Fantaspoa), este filme de terror ganhou visibilidade sendo indicado pela Grã-Bretanha para disputar uma vaga ao Oscar de filme estrangeiro (é falado em farsi). A trama se passa em Teerã, nos anos 1980, durante a guerra entre Irã e Iraque. Em meio à destruição e à luta pela sobrevivência, mãe passa a acreditar que sua filha pequena está possuída por um espírito maligno.

8. The Fundamentals of Caring

Paul Rudd protagoniza este filme queridíssimo, original para a Netflix. The fundamentals of caring conta a história de um homem deprimido que procura em uma nova profissão – cuidador de pessoas com dificuldades – uma espécie de redenção para seus problemas pessoais. Nisso, ele conhece um garoto divertidíssimo (e muito peculiar), seu primeiro cliente. Depois de criarem um vínculo de amizade, os dois partem em uma viagem pelos Estados Unidos, onde conhecem grandes personagens.



9. O Lado Bom da Vida

Indicado a oito estatuetas do Oscar, rendendo a  Jennifer Lawrence o prêmio de Melhor Atriz, esta adaptação do romance de Matthew Quick acompanha a tentativa de readaptação à vida normal de Pat (Bradley Cooper), após oito meses internado para tratamento psiquiátrico. O ex-professor de colegial perdeu a liberdade, o emprego e a esposa depois de flagrar a mulher no banho com outro homem e espancar brutalmente o amante. Pat conhece moça tão desequilibrada quanto ele: Tiffany (Jennifer) – uma jovem viúva conhecida pelo comportamento sexual promíscuo e pelo temperamento impetuoso. Dirigido por David O. Russell (O Vencedor), a comédia dramática conta também com um ótimo trabalho de Robert De Niro como o pai de Pat.

10. Lovelace

Dirigido por Rob Epstein e Jeffrey Friedman, esta cinebiografia conta a história da atriz da atriz Linda Lovelace (Amanda Seyfried), garota de família tradicional que se tornou protagonista do clássico erótico Garganta Profunda (1977) e, depois, foi abusada pelo marido, que inclusive obrigou-a a se prostituir. A questão da violência contra a mulher, aliás, aparece de maneira central neste bom filme. Com James Franco e Sharon Stone.

11. O Invasor Americano

Dirigido pelo provocador Michael Moore (Tiros em Columbine), este documentário espelha em outros países questões que são problemáticas nos Estados Unidos, como as que envolvem a ação do poder público em educação, saúde e justiça. Em oito países da Europa, como França, Itália, Alemanha e Noruega, e também na Tunísia, Moore busca exemplos de boas ideias que poderiam ser aplicadas nos EUA. Embora seja bastante crítico com seu país, o cineasta ressalta que alguns bons exemplos que viu em sua jornada já foram vistos nos EUA, antes serem negligenciados ou abandonado pelos governos ao longo do tempo.

12. O leitor

Drama que rendeu um Oscar de melhor atriz à Kate Winslet. No filme ela interpreta uma mulher que é ré em um tribunal que julga crimes da II Guerra Mundial, onde reencontra um  estudante de direito (David Kross) com quem teve um romancado quando ele era adolescente.

13. O Roubo da Taça

O caso real é tão cômico que o filme só realça suas bizarras particularidades. Vencedora de quatro kikitos no 44º Festival de Cinema de Gramado – melhor roteiro, direção de arte, fotografia e melhor ator para Paulo Tiefenthaler –, esta comédia conta a história do roubo do troféu Jules Rimet, conquistado pela Seleção em definitivo na Copa de 1970, da sede da CBF, em 1983, por ladrões de terceira categoria. Escrito e dirigido por Caíto Ortiz (Estação Liberdade), o longa ainda conta com nomes Taís Araújo e Mr. Catra no elenco. Leia a crítica.

14. What happened, Miss Simone?



Documentário original da Netflix que apresenta a vida da pianista, ativista e cantora Nina Simone. A história do ícone do black power é contada por meio de imagens dos shows, diários, cartas e entrevistas de colegas e da sua única filha, Lisa.

Filmes narram vidas turbulentas de duas das maiores cantoras do jazz

15. Janis: Little girl blue

Documentário combina uma fartura de material garimpado em arquivos pessoais e depoimentos atuais de amigos, familiares e músicos, que iluminam a vida, a obra e o legado de Janis Joplin – lenda do rock morta por overdose de heroína em 1970, aos 27 anos. Leia a crítica sobre o filme.

16. Psicose

O grande clássico de Alfred Hitchcock. Para ver o que acontece antes e depois da cena do esfaqueamento no chuveiro.

17. Capitão Phillips

Filme dramatiza o ataque de piratas somalis contra um navio cargueiro americano em 2009. O longo é inspirado no livro Dever de capitão, escrito pelo comandante da embarcação, Richard Phillips, feito refém pelos corsários africanos e vivido por Tom Hanks na adaptação. Leia a crítica.

18. The Wrecking Crew

Este documentário é um tributo aos virtuosos músicos de estúdio responsáveis por gravações de discos históricos nos anos 1960. O filme destaca o trabalho do anônimo grupo com base em Los Angeles em registros como Pet Sounds (1966), o celebrado álbum dos Beach Boys fermentado na cabeça de Brian Wilson e traduzido por músicos como a baixista Carol Kaye. O guitarrista Tommy Tedesco, pai do diretor Denny, era outro craque do time.

19. Foi apenas um sonho

O casal de Titanic (1997), Kate Winslet e Leonardo DiCaprio, se reencontra neste drama dirigido por Sam Mendes (Beleza americana). Na trama, a dupla vive um casal em crise, que viu sua vida sucumbir à rotina, tornando-se aquilo que não imaginava ser.

20. Airheads

Comédia que reúne Steve Buscemi, Brendan Fraser e Adam Sandler em um banda anônima de rock. Desesperados por sucesso, eles invadem uma estação de rádio para que sua fita demo seja tocada.

21. Amnésia

Dirigido por Christopher Nolan, Amnésia (2000) é uma experiência. Narrada de trás para frente e intercalado por cenas em preto e branco de um passado recente, a trama conta a história de Leonard Shelby (Guy Pearce), que sofre de perda de memória por causa de uma lesão na cabeça e busca o assassino de sua esposa. Para não esquecer sua missão, Shelby tira fotos em polaroid de pessoas e lugares e tem tatuagens espalhadas pelo seu corpo – que se revela um arquivo ambulante de sua mulher.



22. Quero ser grande

Tom Hanks, ainda em início de carreira, encarna um guri que deseja ser aduto e tem seu pedido atendido. Altas confusões neste clássico da Sessão da tarde, que merece ser assistido na versão dublada.

23. Faça A Coisa Certa

Um dos pontos mais altos da carreira de Spike Lee, que escreveu, dirigiu, produziu e ainda atuou nesta trama sobre as tensões raciais no Brooklyn dos anos 1980. É praticamente um painel de uma vizinhança em ebulição no – grande sacada do realizador de Malcolm X (1992) e A Hora do Show (2000) – dia mais insuportavelmente quente do ano, o que serve de combustível para o aflorar da intolerância e da incivilidade bestial.

24. Donnie Darko

Um jovem excêntrico e solitário, interpretado por Jake Gyllenhaal, tem visões nas quais é informado de que o fim do mundo está próximo. Ambientado nos anos 1980, a trilha sonora do longa é composta de ótimas músicas da época – como Head over heels, do Tears for Fears, e The killing moon, clássico do Echo & The Bunnymen que abre o filme.



25. Como enlouquecer seu chefe

Uma comédia que faz rir sem apelar para piadas pastelão, Como enlouquecer seu chefe apresenta diversos personagens pitorescos que surgem no ambiente de um escritório. Através de um senso de humor inteligente, o filme questiona as relações profissionais estabelecidas. O roteiro é de Mike Judge, criador de Beavis & Butt-Head e da série Sillicon valley. Como enlouquecer seu chefe influenciou muito a versão norte-americana da série The Office.



26. Scarface

Obra-prima de Brian de Palma, com roteiro de Oliver Stone e atuação histórica de Al Pacino como o chefão do tráfico de drogas cubano Tony Montana. Daqueles filmes que são necessários para qualquer amante de cinema.

27. Beasts of No Nation

Com atuação impressionante, o pequeno Abraham Attah brilha neste que foi, até aqui, um dos raros longas-metragens ficcionais produzidos pela Netflix que apresentaram qualidades semelhantes às dos melhores documentários e das melhores séries originais da gigante do streaming. Na trama, Attah é um menino que fica órfão e é cooptado por um líder rebelde (Idris Elba) para lutar na guerra civil de um país africano. Dirigido por Cary Fukunaga (de Jane Eyre e True Detective), ganhou vários prêmios, no Festival de Veneza, inclusive, mas não conseguiu levar a Netflix ao Oscar.

28. O segredo dos seus olhos

Filme argentino com o grande Ricardo Darín no elenco. Recebeu o Oscar de melhor filme estrangeiro. Merecido.

29. A 13ª Emenda

Dirigido por Ava DuVernay (Selma) e indicado ao Oscar de melhor documentário, este impactante filme faz referência a um dispositivo constitucional que, após o fim da escravidão nos EUA, foi responsável por um sistema que propiciou a disseminação do racismo e das políticas de segregação no país.

30. Hoje eu quero voltar sozinho

Dirigido por Daniel Ribeiro, este filme era inicialmente um curta (Eu não quero voltar sozinho, 2010). Após o sucesso da produção, o diretor decidiu aprofundar a trama de um menino cego que se envolve com um garoto recém-chegado à escola e vive a inocência do primeiro amor. No Festival de Berlim, o longa ganhou o Teddy Bear, voltado a filmes de temática homossexual, e um prestigiado prêmio da crítica, além de receber a segunda nota mais alta de avaliação do público do evento.

31. Fargo

Misturando drama e humor negro, longa rendeu os Oscar de Melhor Atriz à Frances McDormand e Melhor Roteiro Original aos irmão Joel e Ethan Coen e virou uma série bem sucedida. Na trama do filme, um gerente de uma revendedora de carros elabora o sequestro da própria esposa, mas o plano acaba tomando proporções catastróficas e provoca uma série de mortes. Cabe a uma policial grávida tentar elucidar o caso.

32. Shame

Morador de Nova York, Bradon (Michael Fassbender) é um sujeito solitário e discreto, que é viciado em sexo. Porém, suja rotina é tensionado após a chegada repentina de sua problemática irmã Cissy. A atuação de Fassbenber em Shame lhe rendeu o prêmio de Melhor Ator no Festival de Veneza.

33. O Grande Lebowski

O filme tem algumas das figuras mais marcantes da filmografia dos irmãos Ethan e Joel Coen, que não são poucas. A começar pelo protagonista, um hippie anacrônico que resolver intervir num sequestro e dá início à ciranda de erros típica dos longas da dupla.

34. Onde os fracos não têm vez

Vencedor do Oscar de melhor filme em 2008, essa obra-prima dos irmãos Coen tem a atuação impecável de Javier Bardem como um assassino que mata suas vítimas com uma mangueira de ar comprimido.

35. Tempo de matar

Quando dois homens brancos estupram e espancam uma menina negra de 10 anos, o pai da garota resolve fazer justiça com as próprias mãos e mata os estupradores. A cidade, no Mississipi, estado norte-americano tomado pela Ku Klux Klan, fica em polvorosa com o caso e um advogado branco decide lutar para absolver o homem. Dirigido por Joel Schumacher (Batman Eternamente), este drama conta com nomes de peso no elenco como Matthew McConaughey, Sandra Bullock, Samuel L. Jackson e Kevin Spacey.  

36. O sal da Terra

Documentário sobre a vida do fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado e apresenta seu projeto Gênesis, expedição que tem como objetivo registrar, a partir de imagens, civilizações e regiões do planeta até então inexploradas.

37. Bastardos inglórios

Drama de guerra dirigido por Quentin Tarantino, o filme conta a história de dois planos para assassinar os líderes políticos da Alemanha nazista.

38. Uma noite de crime – Anarquia

Em um futuro não muito distante, o governo americano estabelece que, durante uma noite, toda atividade criminosa será lícita e as forças de segurança não estarão disponíveis. A ideia é deixar as pessoas extravasarem a raiva e acertarem contas, mas é claro que a ideia não é boa para todo mundo. Sequência de Uma noite de crime (2013), Anarquia expõe as questões sociais envolvidas na noite do expurgo.

39. Trainspotting

Adaptação da obra de Irvine Welsh, o drama narra as desventuras de um grupo de junkies e retrata a cena clubber de Edimburgo, Escócia, dos anos 1990. Viciados em heroína, eles mergulham no submundo para se sustentarem. A trilha sonora, que é essencial para o longa fluir, conta com nomes como Blur, Primal Scream, Lou Reed, Pulp, New Order e Iggy Pop – cuja canção Lust for life ganhou clipe com cenas do filme.



40. Philomena

Drama baseado na história real de uma irlandesa (interpretada por Judi Dench, indicada ao Oscar por sua atuação neste filme) que passa décadas procurando o filho, entregue a adoção após o nascimento pelas religiosas do convento onde foi confinada, grávida, pela própria família. Um jornalista (Steve Coogan) fareja no caso uma boa história e a ajuda a desvendar uma nebulosa rede de adoção de crianças alimentada pela hipocrisia social e religiosa.

41. Era Uma Vez na América

Em seu derradeiro filme de 1984, o direto Sergio Leone ergueu um grandioso painel sobre o crime organizado nos EUA do começo do século 20 aos anos 1960. Dois gângsteres judeus emergem juntos nas ruas de Nova York e tomam rumos distintos numa ciranda de ambição e violência. Com Robert De Niro e James Woods.

42. Paris, Texas

Rodado nos EUA, Paris, Texas (1984) é um dos mais reverenciados trabalhos do diretor alemão Wim Wenders – ganhou a Palma de Ouro no Festival de Cannes. Com a antológica trilha de Ry Cooder é apresentado o protagonista (Harry Dean Stanton), um homem que vaga desorientado pelo deserto. Resgatado pelo irmão, o sujeito tenta se recompor ao lado do filho pequeno enquanto busca encontrar a ex-mulher.

43. Blue Jasmine

Dirigido por Woody Allen, filme apresenta a queda na pirâmide social de Jasmine, uma socialite de Nova York que é obrigada a se mudar para a casa da irmã. O drama é estrelado por Cate Blanchett, cuja atuação lhe rendeu um Oscar de melhor atriz.

44. O Silêncio do Céu

Eleito melhor filme brasileiro pelo júri da crítica no 44º Festival de Cinema de Gramado e vencedor do Prêmio Especial do Júri na competição serrana, O Silêncio do Céu é uma produção brasileira rodada em Montevidéu, falada quase todo o tempo em espanhol e com um elenco multinacional – que inclui a uruguaia Mirella Pascual, do filme Whisky (2014), e o argentino Chino Darín, filho do astro Ricardo Darín.



Dirigido pelo brasileiro Marco Dutra, o longa é protagonizado por Carolina Dieckmann, que vive Diana – uma brasileira casada com o uruguaio Mario (Leonardo Sbaraglia), com quem tem um casal de filhos. Um terrível episódio, porém, vai perturbar o complexo relacionamento do casal: a mulher é estuprada dentro do próprio lar por uma dupla de homens. Diana decide manter segredo sobre o ato, sem saber que Mario assistiu ao episódio quando chegava na residência e não a socorreu, ficando paralisado por suas fobias. Leia a crítica.

45. As vantagens de ser invisível

Charlie (Logan Lerman) é um estudante depressivo de 15 anos que precisa lidar com o suicídio de seu melhor amigo e com a descoberta de seu primeiro amor, Sam (Emma Watson).

46. O Ato de Matar (Procure por "The Act of Killing")

Indicado ao Oscar de melhor documentário, este filme relembra um episódio terrível: a matança de mais de 1 milhão de pessoas pelo governo militar que assumiu o poder na Indonésia após um golpe, em 1965. O diretor americano Joshua Oppenheimer embaralha registro factual, encenação e performance para apresentar um ensaio sobre a bestialidade humana.

47. O Peso do Silêncio

Oppenheimer conseguiu uma nova indicação ao Oscar de melhor documentário retomando a impactante história que apresentou em O Ato de Matar (2012): o genocídio promovido pelo governo militar que tomou o poder na Indonésia em 1965 – estima-se que mais de 1 milhão de pessoas foram assassinadas. Se no primeiro filme Oppenheimer destacou o papel dos algozes, aqui ele dá a oportunidade de familiares de vítimas confrontarem os assassinos.

48. O Primeiro Mentiroso

O cineasta e humorista britânico Ricky Gervais especula nesta comédia como seria o mundo se as pessoas só dissessem a verdade. Na trama, o roteirista Mark Bellison (vivido por Gervais) inventa a mentira e se torna o homem mais influente e rico do mundo, além de florescer a religião e o fanatismo.

49. Jiro Dreams of Sushi



Documentário sobre o maior chef de sushi do mundo, que mantém há décadas um minúsculo restaurante no metrô de Tóquio. A história e a rotina do velho mestre e sua relação com os filhos e a comida são o núcleo deste belíssimo registro.

50. The Square 

Para quem quer entender melhor os conflitos da Primavera Árabe e a revolta popular que tomou conta do Egito.

 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.