Cartografia do frio

Músico Vitor Ramil é destaque em filme sobre artistas do Cone Sul

Documentário "A Linha Fria do Horizonte" será exibido no Canal Brasil

26/07/2014 | 09h02
Músico Vitor Ramil é destaque em filme sobre artistas do Cone Sul Canal Brasil/Divulgação
Foto: Canal Brasil / Divulgação

O Canal Brasil vai reprisar neste domingo (27/6), às 13h30min, o filme A Linha Fria do Horizonte, que redesenha o mapa musical platino ao puxar um fio que une cancionistas do sul do Brasil, do Uruguai e da Argentina. Para além das fronteiras, o punhado de entrevistados do documentário dirigido pelo curitibano Luciano Coelho compartilha uma percepção similar com relação a essa paisagem de mansas planuras, ao clima de temperaturas baixas e ao caráter mais introspectivo do povo – uma visão artística definida por Vitor Ramil como estética do frio. Durante os meses de junho e julho de 2011 e 2012, a produção gravou mais de 120 horas de entrevistas e shows, em cenários que incluem tanto cidades como Porto Alegre, Montevidéu, Buenos Aires e Madri quanto rincões ermos no pampa sulista.

O umbigo dessa geografia é a casa de Ramil em Pelotas: A Linha Fria... identifica o músico como polo disseminador dessa concepção estética que os irmãos uruguaios Daniel e Jorge Drexler chamam de templadismo – em referência ao clima temperado da região – e o argentino Kevin Johansen batizou de subtropicalismo. Se o autor de Ramilonga é visto como a principal voz dessa conversa – retomando em outros termos um diálogo com cantautores uruguaios e argentinos iniciado antes por músicos como Raul Ellwanger e Luiz Carlos Borges –, a milonga é a linguagem comum utilizada por esses interlocutores. Entremeando as entrevistas com exemplos musicais, o longa explora os termos do conceito sintetizado por Ramil na Milonga de Sete Cidades: rigor, profundidade, clareza em concisão, pureza, leveza e melancolia.

Entre os outros artistas ouvidos pelo doc, estão os brasileiros Marcelo Delacroix, Arthur de Faria, Zelito e Richard Serraria, os uruguaios Dany López, Ana Prada, Sebastián Jantos e o mestre Fernando Cabrera – o mais importante cantautor vivo do país vizinho – e os argentinos Carlos Moscardini e Pablo Grinjot. Radiografia preciosa de uma rica e singular expressão cultural, A Linha Fria... peca apenas pela longa duração: nos 110 minutos do filme, alguns depoimentos soam reiterativos.

>>Leia mais
Confira a crítica do filme Sem Evidências

10 músicas que representam a estética do frio

Jorge Drexler - Un País con el Nombre de un Río

Prada - Amargo de Caña

Vitor Ramil - Milonga das Sete Cidades

Daniel Drexler - Riconcito

Kevin Johansen - Milonga Subtropical

Dany López - Libélula

Marcelo Delacroix - Inverno

Sebastián Jantos - Milonga Del Otoño

Pablo Grinjot - Milonga del Tren Fantasma

Fernando Cabrera - El Tiempo Está Después

 

A Linha Fria do Horizonte
De Luciano Coelho
Documentário, Brasil, 2014, 110min.
Em exibição neste domingo, às 13h30min, no Canal Brasil.
Cotação: 3

Leia mais notícias de Entretenimento

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.