Brasil na fila

Produtoras negociam para trazer Rolling Stones à Argentina

Embora fontes de fãs garantam que o grupo fará ao menos três apresentações no Brasil, não há confirmação oficial

30/07/2014 | 18h36
Produtoras negociam para trazer Rolling Stones à Argentina JACK GUEZ/AFP
Os Stones mandam ver em show no Hayarkon Park, em Tel Aviv Foto: JACK GUEZ / AFP

A Argentina já noticia a negociação em torno da vinda dos Rolling Stones à América do Sul em fevereiro de 2015 (também se trabalha com a possibilidade de os shows serem em março ou início de abril). Segundo o jornal Clarín, três produtoras disputam a turnê: a brasileira T4F (Time for Fun), a Fénix Entertainment Group e a DG Producciones (de Daniel Grinbank, que já trouxe os Stones à Argentina em outras três oportunidades). O grupo fará entre três e cinco apresentações na Argentina, segundo a informação.

"As três empresas que estão na disputa para ficar com a organização dos shows que trarão os Rolling Stones ao país aguardam para os próximos dias uma definição sobre qual será a dona de um negócio cujo faturamento pode superar os US$ 30 milhões (cerca de R$ 66 milhões)", informou o jornal no último domingo. Esse valor seria faturado somente na Argentina.

Leia também:
Produtoras negam show dos Rolling Stones em Porto Alegre
As 10 melhores parcerias de Mick Jagger
Ouça playlist em homenagem aos 71 anos do vocalista dos Stones

Fernando Moya, da T4F, admitiu o interesse da empresa e explicou que a turnê atual dos Stones tem especial relevância para o público por levar em conta que "é sua despedida". Ele também informou que a banda vai cobrar, para os shows na Argentina, cerca de US$ 3,5 milhões e US$ 4 milhões cada apresentação.

Já Daniel Grinbank crê que está em vantagem pela relação de amizade com Jagger e Richards. Ele chegou mesmo a antecipar que os ingressos custariam entre US$ 150 e US$ 200 (R$ 330 e R$ 440). A turnê atual dos Stones, batizada de 14 On Fire, teria então alguns dos ingressos mais caros de sua trajetória - em Lisboa, custaram 69 euros (R$ 220), ao passo que, no festival de Roskilde, Dinamarca, custaram 135 euros (cerca de R$ 432) e, em Oslo, Noruega, custaram 149 euros (cerca de R$ 476).

A partir desse ponto, informou o diário, Grinbank (que já foi um consultor da própria T4F) parou de fornecer informações sobre os shows - acredita-se que por causa do avanço das duas concorrentes, Fénix Entertainment Group e T4F, nas negociações.

O local dos shows, segundo informam, seria o Estádio Único de La Plata (casa dos clubes de futebol Estudiantes e Gimnasia y Esgrima). Mas também há quem diga que poderá ser no estádio do River, que é administrado pela Fénix.

A turnê teria a seguinte disposição, segundo fontes de fãs: além do Estadio Unico de La Plata (Argentina), os Stones tocariam no Estádio Nacional de Chile (Santiago, Chile), no Estádio Nacional de Lima (Peru), no Estádio do Mineirão (Belo Horizonte), no Maracanã (Rio de Janeiro), na Arena Corinthians ou na Arena Allianz Parque (São Paulo) e no Estádio Nacional da Costa Rica. A imprensa chilena, no entanto, ainda está tratando a turnê como um rumor, sem confirmações mais sérias.

O Brasil poderia ter ainda um show no Nordeste, segundo informou o jornal Diário de Pernambuco. Seria na Arena Pernambuco, no Recife. Os ingressos começariam a serem vendidos entre setembro e outubro. A última vez em que os Stones estiveram no Brasil para um show foi há 8 anos, durante a Bigger Bang Tour, em 2006, quando tocaram para mais de um milhão de pessoas na praia de Copacabana.

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.