Três anos de morte

Relembre cinco covers gravados por Amy Winehouse

Cantora, que morreu aos 27 anos, interpretou composições de artistas contemporâneos e antigos

23/07/2014 | 12h54
Relembre cinco covers gravados por Amy Winehouse Steven Governo/AP
Amy Winehouse gravou dois álbuns durante sua curta carreira: "Frank" e "Back in Black" Foto: Steven Governo / AP

três anos, o mundo da música perdia uma das cantoras mais talentosas que já pisou nos palcos. Amy Winehouse, jovem londrina que lembrava as antigas divas do soul, morreu prematuramente, aos 27 anos, depois de ter gravado apenas dois álbuns.

Conhecida por músicas próprias que viraram hits, como Rehab e You Know I'm No Good, a cantora também fez lindas versões para músicas de outros compositores. Para lembrar Amy Winehouse no dia em que sua morte completa três anos, relembramos cinco covers feitos pela cantora.

1. Valerie, da banda The Zutons

A música original foi lançada em 2006 pelo grupo inglês The Zutons, que não chegou a fazer muito sucesso no Brasil – a banda acabou em 2009. Presente no segundo disco da banda, chamado Tired of Hanging Around, a música fez muito mais sucesso na voz feminina de Amy: enquanto a versão original alcançou o nono lugar nas paradas britânicas, a versão de Amy (ao lado de Mark Ronson) chegou ao segundo lugar no ano seguinte.

A versão original, de 2006:

2. Monkey Man, da banda The Maytals

Muita influenciada pela música negra e pelo reggae, Amy Winehouse foi buscar em 1969 uma canção lançada pela banda jamaicana The Maytals (posteriormente chamada de Toots & The Maytals) para regravar. Monkey Man não foi regravada apenas pela cantora britânica: The Specials, Los Pericos, No Doubt (ao lado dos jamaicanos) e Reel Big Fish já tocaram a composição, que é considerada um clássico do ska.

A versão original, de 1969:

3. Garota de Ipanema, de Vinicius de Moraes e Tom Jobim

Uma das grandes músicas da história do Brasil, talvez a composição nacional mais conhecida internacionalmente, Garota de Ipanema foi regravada por Amy Winehouse. A versão em inglês, The Girl From Ipanema, acabou entrando no álbum Lioness: Hidden Treasures, lançado em 2011, após a morte da cantora, que reúne gravações e demos nunca lançadas.

A versão original em inglês é de Pery Ribeiro, de 1962. Em 1965, ganhou o Grammy de melhor música interpretada por Astrud Gilberto e solo de Stan Getz no sax.

4. It's My Party, famosa na voz de Lesley Gore

Grande sucesso de 1963, a música It's My Party (cuja letra diz que "é a minha festa, eu choro se eu quiser"), composta por Herb Wiener, Wally Gold e John Gluck, chegou ao primeiro lugar das paradas naquele ano. É a primeira música de sucesso produzida por Quincy Jones, que depois viraria uma estrela ao se transformar no produtor de Michael Jackson. Em 2010, ele gravou o disco Q: Soul Bossa Nova, com parcerias com diversos artistas. No disco, Amy Winehouse gravou uma versão de It's My Party ao lado de Jones – e essa é a última gravação da cantora antes de morrer.

A versão original, de 1963:

5. I Heard it Through the Grapevine, de Marvin Gaye

Na verdade, essa música foi composta por Norman Whitfield e Barrett Strong, que trabalhavam para a gravadora Motown, o símbolo da soul music nos anos 1960. A versão original, gravada em 1966, é de Skomey Robinson and the Miracles, mas o sucesso veio de verdade em 1968, com a linda versão de Marvin Gaye. Depois disso, não foram poucas as regravações: a mais famosa talvez seja a da banda Creedence Clearwater Revival, em 1970. Em uma edição do programa Later with Jools Holland, da BBC, Amy Winehouse cantou a música ao lado do próprio Holland e de Paul Weller, ex-vocalista e guitarrista da banda The Jam.

A versão de Marvin Gaye, de 1968:

E a versão original, de Smokey Robinson and the Miracles, de 1966:

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.