Música

Nelson Coelho de Castro louva Porto Alegre em show no Renascença

Músico apresenta o espetáculo "Porto-alegrense" neste sábado e domingo

09/09/2016 - 06h12min | Atualizada em 09/09/2016 - 06h12min
Nelson Coelho de Castro louva Porto Alegre em show no Renascença Claudio Mendonça/Divulgação
Foto: Claudio Mendonça / Divulgação

Canta Nelson Coelho de Castro: "Quando caiu aquele sol sobre a cidade, eu vi / Que Porto Alegre resistia em ser feliz /Por mais que uns caras rudes, tristes lhe querem cinza / Não desanima, não se abate _ não se curva a qualquer sina". A ode à Capital, expressa na inédita Porto-alegrense, também dá norte aos shows que o cantor apresenta neste final de semana, no Teatro Renascença.

Serão os primeiros shows de Nelson em muito tempo. Nos últimos anos, acompanhou Antonio Villeroy, Bebeto Alves e Gelson Oliveira no espetáculo Juntos e Monica Tomasi na turnê Pérola de Veludo. Quando estava começando a sentir falta de tocar o próprio repertório, veio o convite para fazer duas noites no Renascença. Só faltava um mote.

– Em 2002, meu CD Da pessoa era para se chamar Porto-alegrense. Mudei na última hora, mas fiquei com esse nome e esse ideia na cabeça. Quando pintaram esses shows, senti que era o momento de resgatar a figura do porto-alegrense – explica Nelson.

A homenagem à capital gaúcha virá na presença de um set dedicado exclusivamente às canções que, nas palavras de Nelson, "bolem em Porto Alegre" – como Aquele Tempo do Julinho, Sertório e Cristal 573. É a maneira que o decano da Música Popular Gaúcha encontrou para exprimir seu espanto com os diferentes tipos de porto-alegrenses.

– Desde pequeno observo o quão diferente é o cidadão de Porto Alegre – diz Nelson. – O cara de Ipanema é diferente do cara do Petrópolis que é totalmente diferente do cara do Menino Deus. E esse mesmo porto-alegrense se transforma em outro quando bota o pé na areia da praia.

Nelson pretende dividir com o público essa inquietação, além de tocar outras canções de sua carreira – entre elas, Zé, Arabutã, Cadê, Cidade, Futebol, Ele vem de manhã, Teu segredo e Homem alma – e o que mais o público pedir. Tudo levado a voz e violão, com participações pontuais de Matheus Kleber (acordeom) e Michel Dorfman (piano) e das Bibiana Morena e Monica Tomasi.

Espetáculo que relê boa parte de sua carreira, Porto-alegrense também serve de preparação para o novo disco de Nelson. Em fase de produção, o novo trabalho deverá seguir os rumos do espetáculo, sendo mais intimista que o anterior, Lua Caiada (2010).

– Devo entrar em estúdio entre o final deste ano e começo do ano que vem para lançar ainda no primeiro semestre de 2017 – comenta Nelson. – Minha intenção é gravar um disco mais simples, com uma banda menor, até para facilitar a circulação dos shows. O conteúdo ainda não foi definido, mas devo continuar estudando o porto-alegrense.

 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.