Música

Sete versões brasileiras para músicas de Bob Dylan

Caetano Veloso, Vitor Ramil e Fagner estão entre os que fizeram versões para canções do bardo folk

13/10/2016 - 14h04min | Atualizada em 13/10/2016 - 16h11min
Sete versões brasileiras para músicas de Bob Dylan Adriana Franciosi/Agencia RBS
Foto: Adriana Franciosi / Agencia RBS

Batendo nas portas do céu
Tradução de Zé Ramalho para o clássico Knockin' on heaven's door, presente no disco Zé Ramalho canta Bob Dylan – Tá tudo mudando (2008). Como o próprio nome diz, é um compilado de versões do bardo do sertão para o bardo do rock.

Negro amor
Versão de It's all over now, baby blue feita por Caetano Veloso para Gal Costa cantar no disco Caras e bocas (1977). A canção ganhou novos arranjos em 1999 para o disco Tchau, Radar! dos Engenheiros do Hawaii, e em 2008 para o álbum de covers de Zé Ramalho.

Joquim
O terceiro disco de Vitor Ramil, Tango (1987), traz sua adaptação para o épico Joey. Ramil voltaria à Dylan no álbum Tambong (2000), com versões para Gotta serve somebody (Um dia você vai servir a alguém) e You're a big girl now (Só você manda em você).

Ainda não está escuro
Discípulo declarado de Bob Dylan, Marcelo Nova prestou tributo ao mestre na tradução de Not dark yet. A faixa foi registrada no álbum Grampeado ao vivo, Vol. 1 (1999).

Furacão
Hurricane, a história da prisão injusta do boxeador Rubin Carter, foi traduzida por Miguel Paiva e interpretada com vigor e personalidade por Cida Moreira no disco que leva o nome da cantora de 1986.

Tanto
Um dos singles do primeiro LP do Skank, de 1992, foi uma versão reggae do compositor Chico Amaral para a balada I want you.

Romance no deserto
Um dos grandes hits do disco homônimo de Fagner, lançado em 1987, é uma versão sertaneja de Fausto Nilo para Romance in durango.


 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.