Entrevista

"Queria que o filme tivesse relevância", diz diretor de "A Bela e a Fera"

Bill Condon dirige a refilmagem da animação de 1991, que estreia nesta quinta

Por: Estadão Conteúdo
16/03/2017 - 08h00min | Atualizada em 16/03/2017 - 09h37min
"Queria que o filme tivesse relevância", diz diretor de "A Bela e a Fera" Divulgação/Divulgação
Foto: Divulgação / Divulgação  

Você disse que esta é uma versão da história para 2017. Qual foi sua abordagem para que isso acontecesse?
Embora esses personagens vivessem quase 400 anos atrás, queria que o filme tivesse relevância, principalmente com a Bela. Ela tem um lado ativista que parece mais contemporâneo. Obviamente, a maneira como Gaston consegue usar o medo das pessoas para transformá-lo em agressão e violência é relevante. Esse medo do desconhecido. E estava tudo lá no musical.

Leia mais:
Estrela de A Bela e a Fera, Emma Watson entrará com processo por fotos roubadas e publicadas na web
A Bela e a Fera: compare cenas e figurinos do filme com a animação de 1991
A Bela e a Fera espelha a diversidade na fábula clássica

Hoje, muita gente olha criticamente para os contos de fada.
Sim, com certeza, especialmente em relação à questão da síndrome de Estocolmo, de Bela se apaixonar por seu sequestrador. Essa versão já tinha sido utilizada. Então achava importante adaptar a situação e algumas escolhas de Bela para tornar evidente que ela não ia se apaixonar pela Fera. Quando a Fera pergunta, depois de eles terem uma conexão na cena do baile, se Bela poderia algum dia ser feliz ali, sua resposta é: "Alguém pode ser feliz sem ser livre?". E isso faz com que ele perceba que não pode nem colocar a pergunta até que os termos sejam diferentes. Foi uma mudança importante.

Está arrependido de ter comentado sobre a homossexualidade de Le Fou?
Não foi uma minha escolha falar sobre o assunto. Queria que as pessoas descobrissem quando assistissem ao filme. Agora mesmo, queria que as pessoas vissem para só então comentar.


 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.