Opinião

Taís Araújo e Karol Conka no GNT: a importância da representatividade na TV

Atriz é uma das novas integrantes do "Saia Justa" e cantora comanda o "Superbonita"

10/03/2017 - 15h22min | Atualizada em 10/03/2017 - 16h07min
Taís Araújo e Karol Conka no GNT: a importância da representatividade na TV Juliana Chalita/GNT,Divulgação
Karol e Taís Foto: Juliana Chalita / GNT,Divulgação  

Um dos grandes diferenciais do GNT é a qualidade da maioria dos seus programas. O canal pago consegue transitar dos tradicionais programas de culinária às séries documentais mantendo um mesmo padrão de conteúdo e forma. Para além disso, a abertura da temporada 2017 de sua programação trouxe uma novidade que representa um avanço: dois de seus principais e mais antigos programas estão com novas apresentadoras que refletem diversidade. A cantora Karol Conka assumiu o Superbonita, atração que está no ar desde 2000 e já foi apresentada por Daniela Escobar, Luana Piovani, Grazi Massafera e Ivete Sangalo. Taís Araújo — que já foi a estrela do Superbonita entre 2006 e 2009 — estreou no Saia Justa junto com Pitty.

Leia mais:
Karol Conka promete desconstruir estereótipos no 
"Superbonita"
Taís Araújo, Pitty e exibição ao vivo marcam reestreia do "Saia Justa"
Feminismo, racismo e ¿feminejo¿ pautam debates do novo "Saia Justa" 

Pode parecer uma simples troca de apresentadores, mas as contratações de Karol e Taís representam muito. Em um país como o Brasil, ter duas mulheres negras, bem-sucedidas e com discursos firmes sobre empoderamento feminino e negritude em um dos principais canais da TV paga é fundamental.

Karol já deixou claro que sua meta é levar ao Superbonita o seu conceito de beleza e desconstruir estereótipos. Primeira negra a ocupar um lugar na bancada do Saia Justa, Taís já abriu espaço, logo no programa de estreia, para a discussão sobre empoderamento da mulher negra e a relação entre violência e racismo. São questões que perpassam o dia a dia de grande parcela da população e que agora terão suas vozes de fato representadas na TV. Vai ser histórico e didático vermos essas mulheres com lugar de fala expondo essa realidade semanalmente.

Como fazer rir
Elogiado por crítica e público, o Tá no ar — A TV na TV também virou livro. Tá no ar, no livro (Editora LeYa, 191 páginas, R$ 44,90) apresentar a história do humorístico da Globo, fotos, roteiros originais e vídeos em QR code. Escrito por Alexandre Pimenta, um dos redatores do programa criado por Marcius Melhem, Marcelo Adnet e Mauricio Farias, a publicação mostra os detalhes do processo criativo, a complexidade para a montagem de cada sequência e quadro.

Melhor da semana
Felipe Bronze mantém o alto nível do seu Que Seja Doce, reality show de confeitaria do GNT. Um dos diferenciais do programa é não ter jurados tão caricatos como vilão ou bonzinho.

Pior da semana
A proliferação de reality shows de "pegação" na MTV não é só em produção de conteúdo original. O canal também não cansa de reprisar os programas durante a semana. 

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.