Fotografia

Eurico Salis lança olhar sobre a relação do homem e o trabalho

Livro "Rio Grande do Sul – Homens e Máquinas" ganha lançamento nesta terça no foyer do Theatro São Pedro.

17/04/2017 - 17h00min | Atualizada em 17/04/2017 - 17h00min
Eurico Salis lança olhar sobre a relação do homem e o trabalho Eurico Salis/Divulgação
Foto: Eurico Salis / Divulgação  

A relação do homem com suas ferramentas e local de trabalho é o tema do novo livro de Eurico Salis. Segundo volume da trilogia que começou com O Solo e o Homem, Rio Grande do Sul – Homens e Máquinas ganha lançamento hoje, no foyer do Theatro São Pedro.

Distribuídas em 192 páginas, as imagens retratam o cotidiano de trabalhadores tendo como cenário principal a indústria pesada, agroindústria, indústria do chip, metal mecânica e outras. Gente quase sempre invisível dentro das várias linhas de montagem que servem ao capital, mas que ganham protagonismo pelas lentes de Eurico.

Leia mais
Artista baiano Mano Penalva cria instalação no Pop Center

Coletivo de artistas Atelier D43 inaugura exposição com desenhos e vídeos realizados na França
Após meses sem manutenção, Fundação Iberê Camargo ganha limpeza da fachada


– Este livro faz parte de um projeto que eu chamo de documentação contemporânea do Rio Grande do Sul através da fotografia autoral. Homens e Máquinas faz parte de uma trilogia que iniciou com O Solo e o Homem, lançado em 2013 e que focava na relação do homem com a terra, os modos de produção e daí as formas de convivência com o solo. Agora o foco é outro – explica.

Foto: Eurico Salis / Divulgação

Fotógrafo experiente, com um currículo que inclui passagens pelas revistas Bizz e Veja nos anos 1980 e 1990 e diversas capas de discos do rock gaúcho, Eurico está desde os anos 2000 editando livros autorais – entre eles Porto Alegre – Cenas Urbanas, Paisagens Rurais, premiado com o Açorianos de Literatura de melhor projeto gráfico (2008), e Porto Alegre – Centro Histórico, vencedor do prêmio de melhor livro gaúcho da Associação Brasileira de Indústria Gráfica (2012).

– Eu tenho uma forma própria de trabalhar, de um lado intuitiva, de outro apoiado em pesquisa e leitura. Proponho o tema a partir de uma ideia maior, de um objetivo onde quero chegar e tento instigar meus parceiros de viagem. Disto resulta uma maneira própria de construir uma narrativa que serve de base para entrosamento de imagens e texto – explica Eurico.

Em Homens e Máquinas, os textos ficaram a cargo de Renato Dalto, parceiro de Eurico em outros livros. O fotógrafo adianta que pretende encerrar sua trilogia de documentação do Rio Grande do Sul com Cultura e Identidade, focado nas etnias, nas formas de arte e na formação de identidade cultural do Estado.

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.