A volta da esculhambação

Consagrado por seu humor trash, Hermes e Renato apresenta peça em Porto Alegre pela primeira vez

Em seu primeiro espetáculo teatral, trupe promete fanfarronice e humor politicamente incorreto no Teatro da Amrigs, nesta sexta-feira (20)

20/07/2017 - 13h48min | Atualizada em 20/07/2017 - 21h10min
Consagrado por seu humor trash, Hermes e Renato apresenta peça em Porto Alegre pela primeira vez Divulgação/Divulgação
Filho do Capeta (Franco Fanti) e Padre Quemedo (Bruno Sutter) são personagens que marcaram o grupo Foto: Divulgação / Divulgação  

Após mais de 15 anos zoando tudo e todos na televisão, o grupo humorístico Hermes e Renato resolveu levar aos palcos de teatro seu humor trash – marcado por escatologia, depravação e, muitas vezes, propositalmente mal feito. A trupe apresenta nesta sexta-feira (21), no Teatro da Amrigs, o espetáculo Uma Tentativa de Show. 

A montagem funciona como uma amostra do que era visto na TV: há esquetes novas e antigas em versões repaginadas, como a Tela Class (programa da MTV no qual o grupo redublava filmes antigos), e música.

Leia mais
Rosamaria Murtinho e Leticia Spiller falam sobre a peça "Dorotéia", que chega a Porto Alegre
Por que Fausto Fanti, de Hermes e Renato, foi referência para uma geração
Relembre cinco momentos de Fausto Fanti, de Hermes e Renato

– É o Hermes e Renato no teatro. Acho que isso é um bom resumo do que se possa imaginar. É possível encontrar na peça todo aquele humor nosso fanfarrão e politicamente incorreto. Sempre com esse olhar satírico sobre tudo – explica Felipe Torres, que interpreta o personagem Boça.

Marco Antônio Alves, que consagrou personagens como o Hermes, define o espetáculo como uma "esculhambação":

– Acho que é uma peça nada convencional, fora dos padrões. 

A trumpe com a formação completa Foto: Ver Descrição / Ver Descrição

Na montagem, há espaço para personagens consagrados da trupe, como Joselito, Boça, Filho do Capeta e Padre Quemedo. Também é satirizada a comédia baseada em jogos de improviso. Outra paródia que se destaca é da companhia Teatro Oficina, que vira Teatro Oficina Bacanal.

– É uma sátira do Zé Celso (diretor da companhia), mas não só dele, como também de toda essa turma que faz esse teatro de imersão. Não que não seja bacana, mas às vezes cai para um exagero satirizável. Merece essa homenagem – ressalta Felipe.

Além de Marco Antônio e Felipe, a trupe é composta por Adriano Pereira e Franco Fanti. Também há Bruno Sutter, ex-integrante fixo do grupo, que reaparece no espetáculo. 

Hermes e Renato começou sua produção de vídeos caseiros nos anos 1990, em Petrópolis (RJ). Em suas origens, o grupo contava com Fausto Fanti, que era um dos principais cérebros da zoeira. O comediante morreu em 2014. Seu irmão Franco, que participou da fundação de Hermes e Renato e atuava como roteirista, foi fixado no time principal.

Hermes e Renato retornaria à MTV em 2013, utilizando novamente seu nome original, porém desfalcado de Bruno Sutter, que saiu do grupo. Entre 2014-15, a trupe trabalhou para a FX Brasil.

Fanti morreu em 2014 Foto: Ver Descrição / Ver Descrição

– Escrevemos uma peça um tempão atrás que era megalomaníaca, que tinha um palco giratório, que nem o Vai que Cola. Só que a gente foi produzir e viu que ia custar muita grana – conta Felipe.

Com o atual espetáculo, o grupo tem viajado o Brasil e entrado em contato com os fãs. 

– Tem gente que fala: "Pô, vocês marcaram a minha adolescência". Só não sabemos se isso foi bom ou ruim (risos) – relata Franco.

De acordo com Franco, há pais e filhos indo juntos assistir a peça:

– Muita gente na faixa dos 30 a 40 anos já tem filho adolescente. Incrivelmente virou uma atração para a família. Muito adequada para a família brasileira.

HERMES E RENATO – UMA TENTATIVA DE SHOW
Quando:
nesta sexta-feira (21), às 20h30min.
Onde: Teatro da Amrigs (Ipiranga, 5.311).
Classificação etária: 16 anos.
Ingressos: R$ 80.
Pontos de venda: pelo site ticketbrasil.com.br.

O que vem por aí

TELEVISÃO

– Temos alguns roteiros de piloto para TV.  Só que esse ano foi meio diferente para o audiovisual, acho que o caminho da gente ter ido pro teatro foi muito bom nesse momento. Temos algumas conversas com algumas emissoras para fazer uma coprodução, mas, por enquanto, a ênfase é total no teatro e na volta do Massacration – diz Felipe Torres.

CINEMA

– Está embrionário ainda, mas já temos várias opções de roteiros. Talvez para 2018. É a plataforma que falta para a gente. Já fizemos TV, rádio, música e teatro, só falta cinema. Temos várias opções de histórias não necessariamente com personagens, tem com personagens também, mas é a nossa última opção. Temos que ter tempo de parar e escrever – afirma Franco Fanti.

– Cinema é uma coisa que a gente está cada vez mais pronto para fazer. Acho que ano que vem a gente consegue entrar no processo de criação do primeiro roteiro nosso pro cinema. Já estamos começando os papos para essa produção – conta Torres.

TEATRO

– Só de ter ido para o teatro já é um amadurecimento. Foi uma primeira peça que a gente escreveu para trazer nosso público para o teatro. Já temos vontade de escrever uma próxima peça com roteiro original. Estamos ampliando as capacidades em plataformas diferentes – prevê Felipe Torres.

– Estamos com projeto de uma nova peça já, mas está muito embrionária ainda. Estamos começando a escrever – adianta Franco Fanti.

MÚSICA

– A gente tem ideia antiga de fazer "Os melhores êxitos musicais de Hermes e Renato", com todas as bandas que a gente já criou e vamos ainda criar. Seria um formato bem interessante. Desde Unidos do Caralho a Quatro, Pira Pirô, Emofrodita, Rap do Humor Negro, Massacration, um show com todos esse momentos musicais clássicos e outros que criaríamos para esse projeto – entusiasma-se Felipe Torres.

Trupe retorna em agosto para show da Massacration

Além da apresentação teatral desta noite de sexta (21), Hermes e Renato retornará a Porto Alegre no próximo mês com mais uma faceta. A trupe fará show com seu outro alter ego, a banda Massacration, no dia 12 de agosto, no Opinião. Paródia de bandas de heavy metal – como Iron Maiden e Manowar –, o grupo era uma brincadeira que acabou saindo do programa da televisão para os palcos. Nos anos 2000, Massacration chamou a atenção com hits como Metal is the Law, Metal Glu-Glu e Metal Massacre Attack – com seu antológico refrão "aruê aruô". Com dois discos lançados, a banda deu um tempo em 2012 e voltou no ano passado com nova formação. Com a morte de Fausto Fanti (conhecido no grupo como Blondie Hammett), seu irmão Franco entrou no lugar, como Red Head Hammett, mas assumiu o baixo. Marco Antônio Alves assumiu o posto vago de guitarrista deixada por Fausto. Ainda em 2016, Massacration lançou um novo single intitulado Metal Milf.

Custando entre R$ 60 e R$ 110, os ingressos para o show estão no terceiro lote. As entradas podem ser adquiridas pelo site blueticket.com.br e pelas lojas Youcom (Boubon Wallig, Praia de Belas, Iguatemi, Bourbon Ipiranga, Barra Shopping Sul, Shopping Total, Bourbon Novo Hamburgo e Canoas Shopping) e Multison (Andradas 1.001 e Bourbon São Leopoldo). Há desconto de 50% para sócio e acompanhante do Clube do Assinante.

Leia mais notícias de cultura e entretenimento

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.