Alegria, alegria

Símbolo dos cara pintadas, minissérie "Anos Rebeldes" chega ao Globo Play nesta quinta-feira

De autoria de Gilberto Fraga, atração foi exibida em 1992 e se passa no Rio de Janeiro entre 1964 e 1979

11/05/2017 - 15h56min | Atualizada em 11/05/2017 - 15h56min
Símbolo dos cara pintadas, minissérie "Anos Rebeldes" chega ao Globo Play nesta quinta-feira Ver Descrição/Ver Descrição
João Alfredo (Cássio Gabus Mendes) e Maria Lúcia (Malu Mader) Foto: Ver Descrição / Ver Descrição  

Sucesso no começo dos anos 1990, a minissérie Anos Rebeldes foi disponibilizada nesta quinta-feira no Globo Play. Os 20 episódios da atração podem ser vistos no serviço de streaming da Rede Globo.

De autoria de Gilberto Fraga, Anos Rebeldes foi exibida em 1992 e se passa no Rio de Janeiro entre 1964 e 1979. Para a obra, Gilberto Fraga buscou referências históricas em livros como 1968: o Ano Que Não Terminou, de Zuenir Ventura, e Os Carbonários, de Alfredo Sirkis. A minissérie foi uma das primeiras produções da dramaturgia para a televisão que retratou concisamente a ditadura militar no Brasil.

Leia mais
Oito seriados sobre política
"Os Dias Eram Assim": por que vale a pena assistir à supersérie da Globo

Na época que foi exibida a atração, o Brasil estava eclodindo com as denúncias de corrupção no governo envolvendo o então presidente da República, Fernando Collor de Mello. A juventude se mobilizou e foi para as ruas com as caras pintadas pedindo a saída de Collor — seria aberto um processo que culminou com o impeachment do presidente, em 1992. A minissérie serviu de inspiração para as manifestações: os protestos eram embalados por canções como Alegria, Alegria, de Caetano Veloso — tema de abertura de Anos Rebeldes.

A HISTÓRIA

A trama retrata a luta contra o regime militar brasileiro a partir do romance entre João Alfredo (Cássio Gabus Mendes) e Maria Lúcia (Malu Mader). Ambos são estudantes do Colégio Pedro II e têm lá suas diferenças: João é engajado com as questões sociais e atua no movimento estudantil, enquanto ela só pensa em ter uma vida sossegada e bem estabelecida. O pai de Maria Lúcia, Orlando Damasceno (Geraldo Del Rey), é um jornalista e membro militante do Partido Comunista. Orlando sempre priorizou a luta política em detrimento de suas ambições pessoais. Por isso, ela teme se relacionar com João Alfredo, que tem características semelhantes às de seu pai. Já ele é integrante de uma família conservadora de classe média, mas, em compensação, é atento à ideia da consciência de classe.

Veja a abertura de Anos Rebeldes

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.