A vez delas

Mulheres poderosas e muitas dúvidas: como foi a estreia da nova temporada de "Game of Thrones"

Primeiro episódio da sétima temporada,"Dragonstone", mostra casas rivais convergindo para Westeros

17/07/2017 - 12h59min | Atualizada em 17/07/2017 - 15h03min
Mulheres poderosas e muitas dúvidas: como foi a estreia da nova temporada de "Game of Thrones" HBO/Divulgação
Após seis temporadas tentando, Daenerys enfim chega a Westeros e monta quartel general no castelo onde nasceu Foto: HBO / Divulgação  

ATENÇÃO, CONTÉM SPOILERS: após mais de um ano de espera, os quase oito milhões de espectadores de Game of Thrones enfim receberam nova dose da série. Como já é tradição, o primeiro episódio lançou as bases para a história que será desenvolvida ao longo da temporada, pedindo certa paciência dos fãs. Enquanto nos dois últimos capítulos da sexta temporada vários pontos foram amarrados e sobraram momentos impressionantes como a incrível Batalha dos Bastardos e a explosão do Septo de Baelor, a première da sétima foi basicamente uma introdução sem grandes cenas de ação. 

A exceção foi a abertura — continuação de uma cena de The Winds of Winter (final da última temporada) em que Arya Stark assassina o já decrépito Walder Frey depois de fazê-lo comer uma torta feita com pedaços de seus próprios filhos. Arya assume a aparência do defunto, envenenando "todos os Freys que importam", e promovendo quase uma versão às avessas do "Casamento Vermelho". É compensador vê-la passeando calmamente entre as dezenas de corpos, depois de ter sofrido tanto na última temporada (e nos fazer sofrer com seu núcleo chatíssimo). 

A vingança de Arya ainda promete muitas emoções já que a vemos admitir para um faceiro Ed Sheeran (em participação especial como soldado de Cersei) que o próximo alvo é "apenas" a rainha de Westeros.

Leia mais:
"Game of Thrones": fãs ficam surpresos com participação de Ed Sheeran na série
O inverno chegou"Game of Thrones": relembre tudo o que aconteceu nas seis primeiras temporadas
Lembra deles? Veja 20 personagens que você amou odiar (ou torcer para) em "Game of Thrones"

Depois dos créditos, o episódio realmente começa. Por meio de uma visão de Bran Stark, descobrimos que os zumbis estão chegando – e agora têm gigantes entre eles! Para enfrentar a turma do Rei da Noite, Jon Snow avisa os aliados que a prioridade é conseguir vidro de dragão e que todos os homens e mulheres devem treinar diariamente. Mesmo à distância, o prestativo Samwell Tarly mostra serviço. Ele, que virou quase um escravo dos literatos na Cidadela, acessa a seção restrita da biblioteca e descobre que o castelo de Daenerys está sobre uma rocha de vidro de dragão. Agora é sentar e esperar que Jon proponha uma aliança com sua tia Daenerys. 

Enquanto isso, em King's Landing, Cersei redecora o chão do palácio com uma pintura de seus sete reinos, mas o estraga-prazeres Jaime Lannister avisa que ela é rainha de "apenas três, no máximo". Também aponta que está cercada de inimigos e sem aliados, mas a rainha se adiantou e convocou Euron Greyjoy com sua enorme frota de navios. 

Cheio de malandragem, o tio de Yara e Theon dá em cima da rainha, alfineta Jaime e se apresenta como grande candidato a nosso próximo malvado favorito. Depois de levar um fora, promete voltar com um presentão para Cersei. 

Esse primeiro episódio reafirma que, cada vez mais, são as mulheres as maiores protagonistas de GoT. Após muito sofrerem, elas estão fortes e um tanto psicopatas. Cersei nem pisca ao ver o corpo inerte do filho Tommen. Se o amor dos filhos era o que dava alguma humanidade à personagem, do que ela será capaz agora? É emblemático que tanto Cersei quanto Daenerys vistam roupas pretas que as cobrem da cabeça aos pés e parecem mais armaduras do que vestidos – elas são guerreiras, e não enfeites. Até mesmo as meninas são barra-pesada: toda vez que Lyanna Mormont fala alguma coisa dá vontade de bater palmas. 

A única frente comandada por um homem é a de Jon Snow, mas se Mindinho for bem-sucedido em criar atrito entre Snow e Sansa, isso logo pode mudar. Os dois irmãos discutem, e Snow observa que Sansa parece admirar Cersei. Como a rainha, Sansa também tem seu próprio cão de guarda: Brienne (essa dupla é pura sororidade). O tom feminista segue até o fim do episódio de 1h, quando Daenerys desembarca em Westeros e, na sala de guerra do castelo onde nasceu, declara: "Vamos começar?" A Rainha dos Dragões será central no próximo capítulo, batizado com um de seus apelidos: Stormborn (Nascida da Tormenta). O trailer também promete uma continuação da cena, com Yara propondo uma invasão de King's Landing e mostra Cersei afirmando que "a filha do rei louco vai destruir o reino". Daenerys reúne-se com o Mestre dos Suspiros, reforçando a expectativa de uma aliança com a velhinha mais legal do seriado: Olenna Tyrell, que na última temporada andava mandando em todo mundo em Dorne.

Outros personagens vislumbrados no capítulo foram O Cão, que tem uma visão dos zumbis atravessando a muralha e parece se converter ao culto ao Senhor da Luz. De Jorah, vemos apenas o braço pedregoso. E Tyrion poderia ter falado mais – por enquanto, ele parece satisfeito em ser coadjuvante de Daenerys. 

Assista ao trailer do segundo episódio da sétima temporada:


 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.