Fim do ciclo

Ronaldinho descarta aposentadoria e diz que deve jogar mais "alguns anos"

Em entrevista à TV Globo, gaúcho não entrou em polêmica e agradeceu torcedores do Fla

31/05/2012 | 23h33
Ronaldinho descarta aposentadoria e diz que deve jogar mais "alguns anos" AgNews/Holofote
Revelado pelo Grêmio, Ronaldinho chegou ao Flamengo no início de 2011 Foto: AgNews / Holofote

Depois de acionar o Flamengo na Justiça do Trabalho, Ronaldinho concedeu entrevista ao Jornal Nacional, da TV Globo, na noite desta quinta-feira. O jogador evitou entrar em polêmica com a diretoria do clube carioca.  
— Foi um período curto, mas feliz. Conquistei dois títulos importantes (Taça Rio e Taça Guanabara de 2011). Prefiro ficar somente com as coisas boas que o Flamengo me deu — declarou o meia-atacante.

— Só tenho a agradecer porque, em todos os lugares que vou, os torcedores me tratam com carinho — acrescentou.
Ronaldinho disse que buscou a rescisão do contrato na Justiça pois "tinha que tomar uma atitude".

— Agora é pensar em qual vai ser o próximo passo — enfatizou.
Sobre a possibilidade de se aposentar, ressaltou:
— Ainda está longe (a aposentadoria), me imagino jogando mais alguns anos. Agora é planejar o futuro com calma, tranquilidade — afirmou o jogador de 32 anos.

Antes da entrevista à TV Globo, Ronaldinho Gaúcho já havia agradecido o apoio da torcida e do clube em sua página no Twitter. "Agradeço mais uma vez todo o apoio que recebi desde que cheguei à Gávea e digo, de coração, que jogar pelo Flamengo foi uma honra."

Ronaldinho chegou ao Flamengo em janeiro de 2011 após a fraca campanha do clube no Campeonato Brasileiro de 2010. Com a camisa 10 do clube, marcou 28 gols e conquistou o Campeonato Carioca do ano passado.

QUAL SERÁ O FUTURO?

Fala-se bastante sobre uma saída para a Major League Soccer, dos EUA, ou para mercados asiáticos (China ou Oriente Médio), mas a permanência de Ronaldinho no Brasil não pode ser descartada.

Empresários árabes procuraram o Palmeiras interessados em servir como mecenas para a contratação. O clube de Felipão (técnico de R10 na Seleção campeã mundial em 2002) foi um dos rivais do Flamengo na corrida pela repatriação do craque. A oferta árabe foi de pagar 80% do salário. O Palmeiras gostou, mas ficou ressabiado porque os empresários não disseram o que pretendem ganhar com o negócio.

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.