Brasileirão

Com polêmicas na arbitragem e gol no fim, Botafogo vence o Atlético-MG em casa

Gol de Dudu Cearense aos 45 minutos da etapa final sela vitória por 3 a 2 dos botafoguense em bom jogo contra o Galo

Por: Lancepress
16/10/2016 - 19h58min | Atualizada em 16/10/2016 - 20h00min
Com polêmicas na arbitragem e gol no fim, Botafogo vence o Atlético-MG em casa Vitor Silva / SSPress/Botafogo/SSPress/Botafogo
Foto: Vitor Silva / SSPress/Botafogo / SSPress/Botafogo

Em jogo movimentado, no qual o Botafogo contou com a polêmica para iniciar uma vantagem por 2 a 0, mas que só teve a vitória consolidada aos 45 minutos do segundo tempo, o time do Rio superou o Atlético-MG por 3 a 2, neste domingo. 

A equipe, que marcou com Bruno Silva, Rodrigo Pimpão e Dudu Cearense chegou à sua quarta vitória consecutiva no Brasileirão e, nesta 31ª rodada, chega a 50 pontos e a quinta colocação. Já o Galo, que descontou com Fred e Leonardo Silva, estaciona nos 56 pontos.

Leia mais:
De virada, Inter vence o Flamengo e sai da zona de rebaixamento
Chapecoense soma ponto contra Cruzeiro e agora mira Sul-Americana
Veja a tabela do Brasileirão

Lançando-se ao ataque de forma incisiva desde o primeiro minuto, o Botafogo contou com a "mãozinha" de uma polêmica para abrir o marcador. Camilo cobrou escanteio e Bruno Silva, após a bola tocar em seu braço, estufou a rede de Victor. Os jogadores do Atlético-MG chegaram a cercar o assistente, mas o árbitro Wagner Reway confirmou o gol aos quatro minutos.

O Glorioso voltou a exigir Victor em finalização de Camilo e lançamentos para Neílton. Em desvantagem, o Galo esboçou uma reação com as investidas de Fábio Santos, Clayton e Robinho, mas a equipe de Marcelo Oliveira recorria invariavelmente a cruzamentos para um bem marcado Fred. Para completar, depois de um pedido de pênalti em Emerson ser ignorado, os atleticanos se perderam em faltas e muitas reclamações.

Mais seguro, o Botafogo viu um momento ideal para dar novo "bote". Neílton avançou em contra-ataque e serviu Alemão, que deu cruzamento preciso para Rodrigo Pimpão bater de primeira aos 34. Pimpão ainda viu nova finalização sua parar em defesa "de manchete" de Victor.

Além das entradas de Leandro Donizete e Pratto nos lugares de Rafael Carioca e Clayton, respectivamente, o Atlético-MG voltou com os ânimos renovados. Após boa tabela com Robinho, Fred honrou sua fama de carrasco do Botafogo e apareceu livre para diminuir o marcador aos cinco.

A vontade do Galo voltou a dar calafrios aos botafoguenses, em batida traiçoeira de Otero de fora da área. A equipe de Jair Ventura reagiu perdendo uma chance incrível: após cruzamento de Neílton, Victor furou feio, mas Camilo, com o gol vazio, mandou para fora.

A imprecisão custou caro. Otero cobrou escanteio para a área, e Leonardo Silva surgiu entre a marcação para dar uma cabeçada fulminante, decretando o empate do Atlético-MG aos 24.

O Botafogo voltou a se lançar a frente, apostando nas arrancadas de Gervasio Nuñez e Sassá, e viu Victor Luis perder chance duas chances claras. E, de tanto pressionar, a equipe de Jair Ventura, chegou à vitória graças a um herói improvável.

Lançado no intervalo, Dudu Cearense surgiu na primeira trave para escorar de cabeça escanteio cobrado por Camilo, conduziu o Botafogo ao terceiro gol aos 45 minutos. Ao som de "Eu acredito" (que ofuscou até as novas reclamações do Galo, de uma suposta falta de Nuñez em Erazo), a torcida vibrava na Arena Botafogo com a certeza de que a equipe de Jair Ventura pode ter novos rumos.

O Botafogo volta a campo nesta quarta-feira, contra o Santa Cruz, pela 32ª rodada do Brasileirão. Depois de enfrentar o Juventude na quarta-feira, no Alfredo Jaconi, pelas quartas de final da Copa do Brasil, o Atlético-MG volta suas atenções para o Brasileirão no próximo domingo, contra o Figueirense, no Independência.

Leia outras notícias sobre o Brasileirão

*LANCEPRESS


 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.