Atletiba

Em clássico polêmico, Atlético-PR bate o Coritiba na Vila Capanema

Jogo foi movimentado e com direito a muita reclamação dos dois lados sobre a arbitragem

Por: Lancepress
16/10/2016 - 19h34min | Atualizada em 16/10/2016 - 19h46min
Em clássico polêmico, Atlético-PR bate o Coritiba na Vila Capanema Marco Oliveira / Atlético-PR, Divulgação/Atlético-PR, Divulgação
Foto: Marco Oliveira / Atlético-PR, Divulgação / Atlético-PR, Divulgação

Em uma partida polêmica — com reclamação de três pênaltis não marcados e de uma irregularidade em um dos gols —, o Atlético-PR bateu o Coritiba por 2 a 0 na tarde deste domingo, na Vila Capanema. Matheus Rosseto e Pablo garantiram o triunfo do time atleticano. Com a vitória, o Furacão segue firme na briga por uma vaga à Libertadores. Já o Coxa se complicou na luta contra o rebaixamento.

A partida começou agitada, com os dois lados buscando ações ofensivas, mas ambos esbarrando nas defesas. Assim, a primeira finalização ocorreu aos nove minutos, com o Coritiba arriscando com Raphael Veiga. Aos poucos o Atlético-PR foi crescendo e dominando o jogo, tendo as investidas mais perigosas com Thiago Heleno e Hernani.

Leia mais:
De virada, Inter vence o Flamengo e sai da zona de rebaixamento
Chapecoense soma ponto contra Cruzeiro e agora mira Sul-Americana
Veja a tabela do Brasileirão

E a primeira polêmica ocorreu aos 18 minutos, quando Lucho González apareceu na linha de fundo pelo lado direito e cruzou a bola, que bateu no braço do zagueiro Luccas Claro, do Coritiba. Os atleticanos pediram pênalti, mas o árbitro mandou seguir.

E dois minutos depois saiu o primeiro gol do duelo, também com direito a polêmica. Após uma bobeada do zagueiro Walisson Maia, o atacante Pablo acreditou na jogada e foi na linha de fundo pegar a bola (que, na verdade, já havia saído de jogo) e conseguiu cruzar para a área. Após um corte parcial da zaga, o meio-campista Matheus Rosseto dominou na entrada da área e soltou uma pancada, no ângulo do goleiro Wilson. 1 a 0.

Após o gol atleticano, o Coritiba até buscou o gol de empate, mas não conseguiu criar jogadas muito perigosas. As melhores foram com Raphael Veiga e com João Paulo.

Insatisfeito com a produção ofensiva do time, o técnico Paulo César Carpegiani realizou duas alterações: saíram Edinho e Vinícius e entraram Carlinhos e Colin Kazim. Porém, o cenário pouco mudou e o Coxa seguiu com dificuldades no ataque.

Já o Atlético-PR apostava nos contra-ataques e no primeiro deles da etapa final houve mais uma reclamação de pênalti. O lateral Dodô, do Coxa, bobeou e Otávio se aproveitou e caiu dentro da área, mas o árbitro mais uma vez nada marcou.

O duelo ficou equilibrado, com o Atlético-PR acertando a trave em um arremate de Hernani, da entrada da área, e com o Coritiba reclamando de um gol anulado (Carlinhos marcou, mas o árbitro marcou um toque de mão de Kazim na formulação da jogada).

Para piorar a situação do Coritiba, o Atlético-PR chegou ao segundo gol com Pablo, que após receber um passe açucarado de Lucho González, bateu com categoria na saída do goleiro Wilson. 2 a 0 Furacão.

Com o 2 a 0, o Atlético-PR buscava um contra-golpe para tentar marcar o terceiro gol. Já o Coritiba foi em busca de marcar um para voltar a partida. Neste panorama, melhor para o time atleticano, que voltou a vencer e segue na luta pelo G-6. O Coxa, na melhor chance que criou, pediu pênalti em cima de Leandro, mas a arbitragem novamente nada marcou.

Para piorar a situação do Coritiba, os demais resultados da rodada foram ruins para ele, que pode ficar apenas dois pontos na frente da zona de rebaixamento dependendo do resultado do confronto entre Sport x Vitória, que acontece na noite deste domingo.

Leia outras notícias sobre o Brasileirão

*LANCEPRESS


 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.