1 a 1

Flamengo larga na frente, mas leva empate do Cruzeiro

Rubro-Negro perdeu a chance de reduzir a distância para o líder Corinthians

Por: Lancepress
16/07/2017 - 18h58min

De nada adiantou o tropeço do líder Corinthians no sábado, porque o Flamengo não conseguiu voltar a vencer e diminuir a distância para a ponta. Tudo bem que empatar fora de casa contra o Cruzeiro não é um resultado absurdo, mas ser o "rei do empate" em um campeonato de pontos corridos não é boa ideia. Com o placar de 1 a 1 neste domingo, pela 14ª rodada, o Fla empatou pela sexta vez no Brasileirão. Até por isso continua na quarta posição, só que mais longe do segundo colocado Grêmio.

Everton chegou a abrir o placar para o Rubro-Negro, mas Sassá, relembrando os tempos de Botafogo, balançou as redes do Fla.

Leia mais
Corinthians sofre gol após 674 minutos e empata com o Atlético-PR em Itaquera
Reunião na segunda-feira pode selar o retorno de Leandro Damião ao Inter
Com apagão no início do jogo, Juventude perde para o Ceará por 2 a 0

Na próxima rodada, o Fla recebe o Palmeiras, na Ilha do Urubu, quarta-feira. Mais um jogo complicado pela frente. Já o Cruzeiro visita o Fluminense, na quinta-feira.

O Flamengo, mesmo fora de casa, não se intimidou e, no primeiro tempo teve as rédeas da partida. Só que o volume maior de posse de bola não significou sufoco para o time da casa. Com Diego e Everton Ribeiro vindo buscar a bola muito atrás, sem conseguirem emplacar triangulações no último terço do campo, o Flamengo foi só cruzamentos - errados - na etapa inicial.

A chance mais clara de gol do primeiro tempo foi da Raposa - mostrando que a posse de bola do Fla foi um tanto quanto inútil (até porque o Cruzeiro marcou bem). Thiago Neves arrancou suspiros da arquibancada quando aproveitou uma brecha nas costas de Rafael Vaz, matou com estilo no peito, só que parou em uma boa defesa do xará Thiago.

O jovem goleiro do Flamengo, que fatalmente perderá a titularidade para Diego Alves, ainda fez uma ótima intervenção no segundo tempo, em um chute rasteiro de Elber. À essa altura, a cara do jogo tinha mudado totalmente, com um Cruzeiro mais arrojado e intenso no ataque.

Mas quem disse que o futebol segue a lógica? Foi justamente minutos após o milagre de Thiago que o Flamengo abriu o placar. Em um dos raros cruzamentos certos, Rodinei achou Everton, que meteu a cabeça na bola e correu para o abraço.

Em desvantagem, Mano Menezes mexeu. E foi praticamente um toque de Midas, porque a alteração se transformou em ouro, ou melhor, em gol. Com um minuto em campo, Sassá recebeu passe precioso de Diogo Barbosa. A dobradinha ex-botafogo teve como resultado o empate da Raposa, já que Sassá ganhou na corrida de Rafael Vaz.

O Flamengo foi perdendo fôlego com o passar do tempo, o Cruzeiro, com o próprio Sassá, poderia ter virado - sorte do Fla que o atacante foi fominha e não tocou para um livre Rafael Sobis. Por muito pouco não teve a segunda "Sassarrada".

Mesmo com as substituições subsequentes tendo como proposta deixar os times mais ofensivos, faltou organização e aquele passe decisivo na frente. O tempo passou e o placar ficou mesmo no 1 a 1. Amargo para todo mundo.

* Lancepress

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.