Nota oficial

Match defende Whelan após prisão: "Não cometeu nenhum ato ilegal"

Agência cujo executivo é acusado de comandar esquema ilegal de venda de ingressos para a Copa relembra relacionamento com a Fifa

14/07/2014 | 23h43
Match defende Whelan após prisão: "Não cometeu nenhum ato ilegal" FERNANDO SOUZA/Agência O Dia/AE
Foto: FERNANDO SOUZA / Agência O Dia/AE

A Match, agência responsável pela venda de ingressos da Copa do Mundo, saiu em defesa de seu CEO, Raymond Whelan, citado como comandante de um esquema ilegal de venda de ingressos para o Mundial. De acordo com a empresa, Whelan não cometeu nenhum ato ilegal e terá sua inocência provada pela Justiça brasileira:

Raymond Whelan se entrega à Justiça
Polícia vai indiciar gerente de hotel por fuga de Whelan

— Não houve irregularidade ou ilegalidade em nenhuma venda de ingressos efetuada diretamente pela Match. A empresa não revende ingressos e seus contratos expressamente vetam a revenda não autorizada dos mesmos. Podemos assegurar que o sr. Raymond Whelan não cometeu nenhum ato ilegal ou irregular e temos certeza de que isso será comprovado em breve pelas autoridades brasileiras.

A nota oficial da empresa também lembrou a duradoura parceria com a Fifa e reiterou sua confiança de que tanto Whelan como a Match terão seus nomes retirados de qualquer processo ligado à venda ilegal de ingressos:

— A Match ou seus dirigentes têm um histórico de 30 anos de relacionamento com a FIFA, assim como longa experiência na organização de grandes eventos esportivos. Estamos confiantes de que as investigações realizadas pelas autoridades brasileiras darão transparência aos fatos e deixarão clara a lisura do trabalho da Match e de sua equipe.

Em infográfico, veja como funciona o esquema de venda ilegal de ingressos

* Lancenet

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.