Pena branda

Em julgamento por caso de racismo, Esportivo é punido com perda de cinco mandos de campo e multa de R$ 30 mil

Árbitro Márcio Chagas da Silva sofreu injúrias racistas feitas por torcedores do clube da Serra após partida do Gauchão

13/03/2014 | 21h45
Em julgamento por caso de racismo, Esportivo é punido com perda de cinco mandos de campo e multa de R$ 30 mil Lauro Alves/Agencia RBS
Foto: Lauro Alves / Agencia RBS

O Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) do Rio Grande do Sul decidiu nesta quinta-feira pela punição do Esportivo no caso de racismo contra o árbitro Márcio Chagas da Silva. O clube terá de pagar multa de R$ 30 mil e perderá cinco mandos de campo. O clube da Serra pode recorrer da decisão.

O julgamento, que teve início às 17h30min, teve duração de mais de quatro horas. Defesa e promotoria levaram suas testemunhas antes da decisão dos auditores. O auditor-relator Paulo Abreu abriu a votação decidindo pela aplicação das penas máximas ao clube, exlcusão do campeonato e multa. Paulo Nagelstein votou pelo pagamento de multa de R$ 20 mil e perda de mando de campo em 5 jogos. Álvaro Paganotto seguiu o voto do relator. O auditor-presidente Marcelo Castro votou na aplicação de multa de R$ 30 mil e perda do mando de campo de 5 jogos para o Esportivo.

Relembre o caso:
Márcio Chagas da Silva sofreu injúrias racistas feitas por torcedores do Esportivo durante a partida contra o Veranópolis na semana passada. Além dos xingamentos antes, no intervalo e após o jogo do dia 5 de março, pelo Gauchão, Márcio Chagas encontrou seu carro amassado, arranhado e ornado com bananas sobre o capô e o teto, com um agravante: segundo a promotoria, o carro do árbitro estava em local de acesso restrito determinado pelo clube.

Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.