Pena branda

Em julgamento por caso de racismo, Esportivo é punido com perda de cinco mandos de campo e multa de R$ 30 mil

Árbitro Márcio Chagas da Silva sofreu injúrias racistas feitas por torcedores do clube da Serra após partida do Gauchão

13/03/2014 | 21h45
Em julgamento por caso de racismo, Esportivo é punido com perda de cinco mandos de campo e multa de R$ 30 mil Lauro Alves/Agencia RBS
Foto: Lauro Alves / Agencia RBS

O Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) do Rio Grande do Sul decidiu nesta quinta-feira pela punição do Esportivo no caso de racismo contra o árbitro Márcio Chagas da Silva. O clube terá de pagar multa de R$ 30 mil e perderá cinco mandos de campo. O clube da Serra pode recorrer da decisão.

O julgamento, que teve início às 17h30min, teve duração de mais de quatro horas. Defesa e promotoria levaram suas testemunhas antes da decisão dos auditores. O auditor-relator Paulo Abreu abriu a votação decidindo pela aplicação das penas máximas ao clube, exlcusão do campeonato e multa. Paulo Nagelstein votou pelo pagamento de multa de R$ 20 mil e perda de mando de campo em 5 jogos. Álvaro Paganotto seguiu o voto do relator. O auditor-presidente Marcelo Castro votou na aplicação de multa de R$ 30 mil e perda do mando de campo de 5 jogos para o Esportivo.

Relembre o caso:
Márcio Chagas da Silva sofreu injúrias racistas feitas por torcedores do Esportivo durante a partida contra o Veranópolis na semana passada. Além dos xingamentos antes, no intervalo e após o jogo do dia 5 de março, pelo Gauchão, Márcio Chagas encontrou seu carro amassado, arranhado e ornado com bananas sobre o capô e o teto, com um agravante: segundo a promotoria, o carro do árbitro estava em local de acesso restrito determinado pelo clube.

VEJA TAMBÉM

     
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.