Palavra do árbitro

Daniel Bins sobre semifinal: "Estamos preparados para um grande jogo"

Árbitro será o responsável por Caxias e Inter, no Centenário

Por: Nícolas Andrade
21/04/2017 - 13h30min | Atualizada em 21/04/2017 - 13h30min
Daniel Bins sobre semifinal: "Estamos preparados para um grande jogo" Porthus Junior/Agencia RBS
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS  

Árbitro do primeiro encontro entre Inter e Caxias no Gauchão, ainda no primeiro turno, Daniel Bins já conhece bem os atletas que vai encontrar no Centenário, domingo. Em entrevista a Zero Hora, o comandante do time de arbitragem que vai atuar em Caxias do Sul revelou que está pronto para encarar a responsabilidade da semifinal.

Bins ainda fez um balanço do Campeonato Gaúcho e lamentou que alguns erros tenham sido cometidos ao longo do torneio. O árbitro acredita, porém, que as arbitragens cresceram na hora certa e estão prontas para um fechamento de campeonato sem maiores problemas

Leia mais:

Diori Vasconcelos: arbitragem fica em boas mãos com Jean Pierre e Daniel Bins
Colunistas opinam: terá Gre-Nal na final do Gauchão?
Bombeiros não aprovam arquibancadas móveis no Vale

Qual o tamanho da responsabilidade de apitar uma semifinal de Gauchão?
O tamanho é enorme, a gente sabe que chegando na reta final do campeonato, os times querem chegar na final, é importante para o planejamento deles no primeiro semestre. Então, estamos preparados, junto com os demais membros da arbitragem, para fazer um grande jogo domingo.

Como funciona esta comunicação com os assistentes antes da partida?
Quando saiu a escala os assistentes e o quarto árbitro fizeram contatos comigo. Fizemos a combinação do deslocamento. Estamos buscando informações das equipes, saber quem vai jogar, fazendo um planejamento bem completo para que a gente possa ir para o jogo e fazer o melhor possível.

Como é feito este estudo dos atletas antes da partida?
A gente busca as informações das equipes, sistemas táticos, se a equipe tem um centroavante que retém mais a bola, um meia mais rápido que costuma colocar os companheiros em situação de gol, o atacante que tem drible fácil, que a gente tem que acompanhar na invasão de área para uma possível inflação, os zagueiros se são técnicos, se chegam mais duro. Isso tudo é para não ser surpreendido no campo de jogo

Há algum cuidado especial com Wagner e D'Alessandro, atletas que costumam conversar bastante com a arbitragem?
Com certeza existe um trabalho específico. Eu trabalhei no primeiro turno, neste embate do Beira-Rio, já tivemos muito trabalho com os dois. São excelentes jogadores, mas temos que estar preparados para esse conflito, caso aconteça, para que a gente possa fazer de forma preventiva com que nada prejudique o andamento da partida

Como você avalia a sua participação no Gauchão e o campeonato no geral?
Em relação à minha participação fiquei satisfeito, a gente vem mantendo uma regularidade de dois ou três anos ficando entre os três ou quatro melhores do Gauchão. Esse ano acredito que a gente esteja nesse patamar também. Mas, a gente sabe que o futebol é ingrato. Não adianta vir fazendo ótimas partidas e ficar nesse último jogo com uma atuação abaixo do esperado. O desafio é manter o nível para legitimar o resultado da partida.

No campeonato passamos por situações complicadas, alguns erros que no ano passado ou retrasado eu não lembro de terem acontecido. Mas, conseguimos recuperar no meio da competição, estamos em um crescente chegando no momento certo para a decisão.

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.