Contestações

Bate-boca da base: Gestão Kroeff acusa atuais dirigentes de falta de investimento

Troca de críticas entre as direções antecipa discussão que marcará as eleições de setembro

04/07/2012 | 22h42
Bate-boca da base: Gestão Kroeff acusa atuais dirigentes de falta de investimento Edu Andrade/Grêmio,Divulgação
Fernando é a maior bandeira da antiga coordenação das categorias de base do Grêmio para comprovar a eficácia de seu trabalho Foto: Edu Andrade / Grêmio,Divulgação

Cotado para integrar a lista de Mano Menezes nos Jogos de Londres, o volante Fernando é a maior bandeira da antiga coordenação das categorias de base do Grêmio para comprovar a eficácia de seu trabalho.

A goleada de 5 a 2 aplicada pelo Inter no primeiro Gre-Nal decisivo do estadual de juniores foi o mote da atual direção para criticar o projeto desenvolvido no biênio 2009-2010, período em que Duda Kroeff era o presidente. E antecipou uma discussão que marcará a campanha para a sucessão do presidente Paulo Odone, em setembro.
 
Inconformado com as críticas, o ex-diretor Paulo Deitos desfia conquistas como os Brasileiros sub-20, sub-17 e sub-15, o Efipan de Alegrete e o estadual juvenil, todos em 2009, como prova dos bons frutos gerados na gestão passada.

Busatto, atual reserva de Marcelo Grohe, Saimon, Neuton, hoje na Udinese, da Itália, e o volante Felipe Guedes são lembrados por Deitos como jogadores revelados naquele período. Junto com Fernando, fizeram parte do time campeão sub-20. Outros exemplos citados pelo ex-dirigente são o zagueiro Gérson, o volante Misael e o meia Biteco, todos titulares do atual time júnior.

Até o lateral-direito Mário Fernandes, vendido em abril ao CSKA, da Rússia, é relacionado como um bem sucedido resultado da política da administração passada. Deitos recorda que, ao retornar de São Caetano, após a fuga, o jogador foi "adotado" durante três meses pela base, que providenciou acompanhamento psicológico e moradia para os familiares. 

— Nós, sim, é que assumimos com uma base arrasada. Mais da metade dos jogadores sub-20 não tinham vínculo com o clube. Eram promessas da base, mas não pertenciam ao Grêmio — acusa Deitos, citando o volante Paulinho e o atacante Alex como jogadores que saíram de graça do Olímpico após terem sido campeões sub-20 em 2008.

Deitos sai em defesa de Edson Aguiar, coordenador técnico da base até o final da gestão do ex-presidente Duda Kroeff, no final de 2010. Contratado junto com o técnico Paulo Autuori, Aguiar é elogiado pelo ex-diretor pela introdução de uma metodologia única para todas as categorias. De volta ao Catar, Aguiar trabalha na formação de jogadores para a Copa de 2011, naquele país.

— Nada tenho contra o trabalho de Biasotto (Marco Antônio Biasotto, atual coordenador da base). Mas é uma injustiça dizer que Edson Aguiar foi um mal para o clube — afirma Élvio Pires, que assumiu a direção no lugar de Deitos em abril de 2010.

A aposta em atacantes de outros centros, sobretudo o interior paulista, em vez de investir em jogadores que já estão no clube, é apontada pelos antigos dirigentes como uma falha grave da atual coordenação da base.


VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.