Parceria

À espera de formalizar acordo, Grêmio já cumpre novos termos do contrato com a OAS

Koff acredita que o clube poderá ser superavitário em menos tempo do que se imaginava

20/03/2014 | 06h04
À espera de formalizar acordo, Grêmio já cumpre novos termos do contrato com a OAS Bruno Alencastro/Agencia RBS
Foto: Bruno Alencastro / Agencia RBS

O Grêmio pagará R$ 15 milhões à Arena Porto Alegrense em 2014 mesmo sem ter assinado o aditivo ao contrato que previa R$ 40 milhões anuais, considerado lesivo pelo presidente Fábio Koff e motivo de toda a novela da renegociação. As parcelas mensais já estão sendo cumpridas pelo clube, por meio de acordo com a OAS. Os valores referentes a 2013 serão parcelados.

Koff está otimista com a saúde financeira do Grêmio a partir do contrato em novos termos com a OAS. Ele entende que, com os cortes no futebol, a economia com salários realinhados dentro de uma política forte de contenção e as receitas provenientes expressivas da venda de jogadores, o clube poderá ser superavitário em menos tempo do que imaginava.

O que impede a assinatura do aditivo de contrato da Arena, agora que o Olímpico têm as licenças ambientais para ser implodido, é a OAS resolver a questão do estádio como garantia do financiamento contraído para construí-lo. E se a empreiteira não honrar os pagamentos junto ao BNDES? O Grêmio ficaria sem ter onde jogar: sem o Olímpico e com a Arena com chance de ser interditada por razões jurídicas. O Grêmio, segundo Koff, já fez a sua parte.

Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.