Opinião

Colunistas avaliam a contratação de Felipão como novo técnico do Grêmio

Jornalistas opinam sobre a contratação do ex-treinador da Seleção Brasileira para o clube

Atualizada em 30/07/2014 | 01h0329/07/2014 | 15h21
Colunistas avaliam a contratação de Felipão como novo técnico do Grêmio Montagem sobre fotos/Agência RBS
Foto: Montagem sobre fotos / Agência RBS

Após a saída de Enderson Moreira, depois da derrota por 3 a 2 para o Coritiba, Luiz Felipe Scolari assume como técnico do Grêmio. Junto com ele, Ivo Wortman e Murtosa entram como auxiliares técnicos.

Veja o que os jornalistas do Grupo RBS pensam sobre a contratação do ex-técnico da Seleção Brasileira para o clube:

Caue Fonseca, jornalista do blog Gremista ZH 

Bendito seja Celso Roth, que nos trouxe Luiz Felipe Scolari de volta.

Alguns gremistas no limite da rabugice dirão se tratar de mais uma amostra de pensamento mágico. Que Felipão chega ao tricolor obsoleto, para manchar sua própria trajetória, como fez no Palmeiras e na Seleção Brasileira. Não é por isso que estou soltando foguetes. O Felipão de que o Grêmio precisa não é o de 1995, é o de 2014 mesmo. Ferido e motivado pela contestação.

Ontem, ao site da ZH, me pediram um parágrafo sobre o perfil do novo técnico. Pedi apenas trabalho e pulso firme. Mais do que um bom técnico, um bom chefe. A tudo isso, Felipão soma credibilidade. Que jogador será capaz de questionar Scolari quando posto a esquentar o banco por mau desempenho? Que torcedor terá coragem de vaiar uma substituição?

Felipão certamente veio para pagar uma dívida de gratidão com Fábio Koff. Mas torço também para que esteja disposto a demonstrar do que o seu Grêmio é capaz quando o Brasil inteiro discursa contra ele. Já superamos um 5 x 1 com um 5 x 0, certa vez. Não são dois golzinhos a mais que vão intimidar uma torcida acostumada ao impossível.

E digo mais: que bom gremista já não está com a faca entre os dentes para o Gre-Nal do Beira-Rio sabendo a quem pertence o bigode acima da lâmina?

DUPLA EXPLOSIVA: no episódio da contratação do novo técnico, Fábio Koff "atropela" seu executivo

David Coimbra, comentarista do Grupo RBS

A direção do Grêmio acerta ao contratar Felipão. Depois do fracasso na Copa, imagino que ele deva estar ansioso para começar novo trabalho. Só um novo trabalho, e um novo trabalho bem-sucedido, fará com que o revés sofrido contra a Alemanha seja esquecido, ou, pelo menos, parcialmente esquecido. O Felipão pós-Copa decerto será mais atento, mais exigente, mais ansioso pela vitória. Será como se fosse o antigo Felipão.


MURAL ZH: O que você achou da contratação de Felipão no Grêmio?

Guerrinha, comentarista da Rádio Gaúcha

Uma bela notícia ao torcedor do Grêmio. Qual foi o grande treinador que nunca teve seu momento de fracasso? Todos tiveram. Os grandes técnicos sofrem grandes rebates. Isso que aconteceu na Copa é uma tatuagem, nunca será esquecido. Mas ele precisa desempenhar um bom trabalho. Com o grupo que tem, o Grêmio não tem qualidade para ser campeão. Agora, com o Felipão, dá um gás a mais. O Barcos vai render muito na mão dele, já foi seu jogador no Palmeiras.

Luiz Zini Pires, colunista do Grupo RBS

O Grêmio não contratou um treinador. Acertou com Luiz Felipe Scolari. Recuperou um dos maiores técnicos da história do clube. Não poderia descobrir nome melhor em época de crise. Ele lembra títulos. Recupera a memória de uma época de vitórias. Felipão é o nome da esperança no Olímpico.

Mas o Felipão do novo século não é o Felipão dos anos 1990. Ele mudou, o clube se transformou, piorou. O técnico sofreu um atentado na Copa do Mundo de 2014. Os estilhaços alemães atingiram todos os brasileiros que gostam de futebol. O golpe não completou um mês. Ninguém sabe como Felipão reagirá após o impacto. Como se apresentará num campo de treinos depois da derrota.

Felipão voltou pela mão de Fábio Koff. Não fosse o presidente, ele seguiria sua vida em Portugal até descobrir outro trabalho, possivelmente em 2015. Depois de 19 meses no clube, quatro meses antes de deixar a presidência - se é que vai sair agora -, Koff faz o movimento mais ousado. Busca no passado soluções para o futuro.

Maurício Saraiva, comentarista do Grupo RBS

O Grêmio precisa de um nome que o torcedor imediatamente acolha. E o Luiz Felipe precisa de um time para se recuperar dos dez gols em dois jogos que tomou na Copa do Mundo. Neste momento, um necessita do outro.

Pedro Ernesto Denardin, narrador da Rádio Gaúcha

O trabalho do Felipão já sofreu um certo desgaste. Se olharmos friamente o desempenho da Seleção na Copa, foi péssimo. Mas o Felipão da década de 1990 ganhava de quem ele queria e do jeito como ele queria. Agora, temos de ver qual Felipão estará à frente do Grêmio.

Leia também
Felipão: "Estou muito contente de retornar"

Wianey Carlet, colunista da Zero Hora

Fábio Koff é a única pessoa no mundo que poderia convencer Luiz Felipe Scolari a assumir como treinador do Grêmio. Felipão estava de ressaca pela saída vexatória da Copa. Certamente, precisaria de mais tempo para se recuperar, mas um convite de Koff ele não poderia rejeitar. O Grêmio traz o melhor treinador que poderia encontrar. Tem identificação com o clube e um currículo de conquistas capaz de remotivar a torcida. O Grêmio já pode voltar a sonhar com um futuro melhor no Brasileirão deste ano.

VÍDEO - Luiz Zini Pires e Luís Henrique Benfica questionam: quem é o Felipão que vem para o Grêmio?

 

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.