Do Shakhtar ao Monaco

Grêmio pode receber 1 milhão de euros em venda de Douglas Costa

Mecanismo de solidariedade da Fifa estipula que clube ucraniano deve repassar 3% do lucro na transação, avaliada em 35 milhões de euros

04/08/2014 | 13h18
Grêmio pode receber 1 milhão de euros em venda de Douglas Costa SERGEI SUPINSKY/AFP
Douglas Costa deve trocar o Shakhtar Donetsk pelo Monaco Foto: SERGEI SUPINSKY / AFP

O Grêmio poderá receber o reforço inesperado de 1 milhão de euros em seu caixa nos próximos dias. Graças ao mecanismo de solidariedade da Fifa, o clube gaúcho faturaria 3% dos 35 milhões de euros que o Monaco, da França, promete pagar ao Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, para contratar Douglas Costa, meia formado na base tricolor.

O dispositivo previsto no Regulamento de Transferências da Fifa estipula o repasse de 5% do valor da transferência aos clubes em que o jogador atuou dos 12 aos 23 anos. Entre 12 e 15 anos de idade, cada ano completo corresponde a 0,25% de compensação. A partir do 16º, cada temporada significa o recebimento de 0,5%.

Leia mais notícias sobre o Grêmio
Confira a tabela completa do Brasileirão

Desta forma, como Douglas foi vendido aos 19 anos ao Shakhtar, o Grêmio teria direito a 3% do total de uma futura transação. Na época da negociação, em janeiro de 2010, o Grêmio manteve 15% dos direitos econômicos do jogador. No entanto, utilizou este percentual como moeda para contratar o centroavante Marcelo Moreno do clube ucraniano ao final de 2011.

Após a confirmação da venda de Douglas Costa, o Shakhtar teria um mês para repassar o dinheiro ao Grêmio, conforme o regulamento da Fifa. Além do ex-gremista, o Monaco também planeja levar outro titular do time do técnico romeno Mircea Lucescu: o meia Alex Teixeira, contratado pelos ucranianos junto ao Vasco, em 2010. Ambos chegariam para repor a lacuna deixada pelo colombiano James Rodríguez, vendido pelos franceses ao Real Madrid por 80 milhões de euros.

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.