Quebrando a cabeça

Preços altos deixam Grêmio distante de atender pedidos de reforços feitos por Renato Portaluppi

Por enquanto, conforme o técnico, quem está mais próximo é um meia

Por: Luís Henrique Benfica
14/02/2017 - 21h00min | Atualizada em 15/02/2017 - 11h31min
Preços altos deixam Grêmio distante de atender pedidos de reforços feitos por Renato Portaluppi Lucas Uebel / Divulgação Grêmio/Divulgação Grêmio
Foto: Lucas Uebel / Divulgação Grêmio / Divulgação Grêmio  

Entre o desejo de Renato Portaluppi e a realidade, existe a falta de dinheiro no cofre. O técnico, que sonha com um meia e um atacante, promete "quebrar a cabeça" enquanto os nomes não são encontrados no mercado.

E torce para uma solução até 9 de março, data de estreia na Libertadores, contra o venezuelano Zamora.Neste momento, conforme Renato, está bem adiantada a negociação com um meia. O nome, porém, é mantido em sigilo. Sabe-se, apenas, que atua fora do país.

— Estão atrás de um meia. E é de fora do Brasil — confirma um empresário ouvido por Zero Hora.

Leia mais:


São Paulo já foi notificado a não repassar ao Atlético-MG dinheiro que Grêmio tem a receber por Victor

O reforço não é necessariamente brasileiro, já que, até 4 de abril, estará aberta a janela para contratações de jogadores do mercado estrangeiro. Uma alternativa que chegou a ser estudada era Óscar Romero, do Racing, mas este acertou-se com o Alavés, da Espanha.

Nomes como Ganso, do Sevilla-ESP, e Bruno César, do Sporting-POR, ficam muito acima das condições financeiras do Grêmio. Vale o mesmo para Marlos, ex-São Paulo, hoje no Shakhtar Donetsk-UCR. Em 2016, o clube ucraniano recusou uma oferta do inglês Tottenham.

Domingo, antes da partida contra o Passo Fundo, o empresário Jorge Baidek revelou que um brasileiro atualmente fora do país manifestou o desejo de disputar a Libertadores pelo Grêmio. Mas nenhuma proposta foi feita.

— Nosso papel é o de oferecer as alternativas. Mas o clube trata com vários empresários — diz Baidek, sem revelar o país em que atua o jogador que pretende voltar ao Brasil.

Para contratar um atacante qualificado, o Grêmio necessitaria de uma boa dose de ousadia. Poderia, por exemplo, tentar atravessar a negociação que o Vasco faz com o chinês Tianjin Quanjian para trazer Luís Fabiano.Ou aproximar-se dos palmeirenses Rafael Marques e Lucas Barrios, ambos sem espaço com a chegada do colombiano Borja.

O mais provável, considerada a realidade financeira do clube, é que sejam trazidos reforços médios. O mesmo perfil dos laterais Léo Moura, Leonardo e Bruno Cortez, do volante Michel, e dos atacantes Beto da Silva e Jael, os nomes trazidos até o momento.

A direção, que também procura um zagueiro, não fixa prazo para qualquer anúncio.

— Tratativas existem, sim. Mas não há nada concreto — avisa Saul Berdichevski, diretor de futebol, questionado sobre o meia e o atacante com que sonha Renato.

Leia outras notícias sobre o Grêmio

*ZHESPORTES  

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.