Na memória

Grêmio imortaliza mais quatro campeões em sua Calçada da Fama

Emerson Leão, Luiz Carlos Goiano, Paulo Nunes e Maicon foram homenageados em cerimônia na tarde desta quinta-feira (14). Iúra refez sua marca, danificada no ano passado

14/09/2017 - 19h38min | Atualizada em 14/09/2017 - 21h03min
Grêmio imortaliza mais quatro campeões em sua Calçada da Fama Anselmo Cunha / Especial/Especial
Foto: Anselmo Cunha / Especial / Especial  

No início da noite desta quinta-feira (14), em uma das salas da Arena, um encontro de campeões da Copa do Brasil e do Brasileirão marcou a cerimônia de entrada de mais quatro representantes para a Calçada da Fama do Grêmio

Paulo Nunes e Goiano, vencedores em 1997, e Maicon, capitão do Penta, em 2016, ao lado do ex-goleiro Leão, campeão brasileiro em 1981, são os novos integrantes do quadro, que já imortalizou 41 personalidades da história do clube. Iúra refez a sua marca, que acabou danificada com a mudança do Olímpico para a Arena.

O presidente Romildo Bolzan Jr. abriu a cerimônia falando da importância da contribuição dos homenageados.

— Eles fazem o sucesso no campo e nós choramos de alegria no lado de fora. O Grêmio reconhece em vocês valores do clube importantes para a preservação da nossa instituição— destacou.

Leia mais:
Grêmio abre nesta sexta-feira a venda de ingressos para jogo contra o Botafogo
Renato encaminha time com Arroyo entre os titulares e Jael no banco contra a Chape
Da Calçada da Fama ao Jantar Farroupilha: festejos pelos 114 anos do Grêmio vão até dia 22
Veja a galeria de fotos do evento

Um dos funcionários mais antigos do Grêmio, o superintendente Antônio Carlos Verardi foi chamado para falar sobre a convivência com os novos integrantes da Calçada da Fama.

 — É uma emoção estar aqui homenageando estes cinco atletas. É um dos momentos de maior emoção nestes 50 anos de história no Grêmio— admitiu.

O ex-presidente Luiz Carlos Silveira Martins contou histórias da convivência com Paulo Nunes, Goiano e Emerson Leão. Cacalo também elogiou Iúra e Maicon, e arrancou aplausos ao provocar o Inter, que foi chamado de "tradicional ex-rival" durante seu discurso:

— Sou um gremista, que foi dirigente, mas sempre um torcedor. O Grêmio é uma grande instituição. Mas, para a sua torcida, é o maior clube do mundo.

Cacalo, em homenagem ao ex-presidente Hélio Dourado, pediu para que o hino do clube fosse executado.

Emerson Leão falou pelos homenageados e exaltou as contribuições do grupo de atletas para a história do Grêmio.

— O nosso legado vive aqui.

Como ainda está em recuperação da lesão no tendão de aquiles, Maicon não fez o registro dos pés para a Calçada da Fama. O ex-goleiro Leão fez a placa com as mãos.                        

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.