Opinião

Leonardo Oliveira: por que o Grêmio está à frente do Botafogo nestas quartas da Libertadores

Sem Geromel e Luan, time gaúcho faz no Engenhão o primeiro jogo do confronto

Por: Leonardo Oliveira
13/09/2017 - 07h01min | Atualizada em 13/09/2017 - 07h01min
Leonardo Oliveira: por que o Grêmio está à frente do Botafogo nestas quartas da Libertadores Lucas Uebel/Gremio.net
Foto: Lucas Uebel / Gremio.net  

O Grêmio estará sem Geromel e Luan  contra o Botafogo. Juntando essas duas ausências à perda de Pedro Rocha, considero que o principal eixo da equipe não pisará no gramado do Estádio Nilton Santos. O que é motivo suficiente para causar preocupação na torcida, Mas insuficiente para o alarmismo que observei entre os gremistas às vésperas do jogo. O Grêmio estará sem seus dois principais jogadores, mas isso não faz dele menos time do que é nesse confronto. Não vejo o Botafogo, mesmo completo, tão superior assim no contexto em que se apresenta a primeira partida do confronto.

Vamos combinar que os cariocas formam um time combativo, solidário, que joga todas as partidas como se fosse a última. Para por aí. O Botafogo está azeitado e encontrou um padrão de jogo em que nomes como Carli, Matheus Fernandes, Bruno Silva, Rodrigo Pimpão e Roger ganham proeminência. Mas nenhum deles, aposto, estaria na sua lista de desejos para atuar pelo Grêmio.  

Leia mais:
Comentaristas opinam: qual a melhor alternativa se Luan não jogar?
Grêmio já cruzou pelo Botafogo em Libertadores: veja o retrospecto do Tricolor contra brasileiros
Renato faz mistério sobre situações de Luan e Geromel: "Ninguém está descartado ou confirmado"

Portanto, mesmo sem Luan e Geromel e ainda calculando o tamanho da ausência definitiva de Pedro Rocha, não vejo o Grêmio inferior ao seu adversário. Será um jogo igual. O grande trunfo do Botafogo é seu conjunto e a afinação que ele tem com uma torcida entusiasmada pela melhor temporada do time nas últimas duas décadas. Ou você se lembra de algo semelhante no preto e branco do Botafogo depois do Brasileirão de 1995? 

Será uma noite eletrizante, não tenha dúvida. Mas, se o Botafogo tem força coletiva e um estádio lotado a favor, o Grêmio tem Edilson, Kannemann, Arthur, Ramiro, Fernandinho e Barrios. Eles já mostraram o que podem fazer. Por isso, não vejo motivo para alarmismo. 

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.