Com respeito

Alex evita provocações e elogia o rival: "Não estamos mais na época das alfinetadas"

Meia explicou vantagens dos treinos fechados, como o comandado na tarde desta quarta por Abel

06/08/2014 | 18h45
Alex evita provocações e elogia o rival: "Não estamos mais na época das alfinetadas" Fernando Gomes/Agencia RBS
Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS

O respeito ao Grêmio é evidente no discurso de Alex ao projetar o clássico de domingo. Com a autoridade de quem sabe o que o jogo significa desde 2004, quando chegou para a primeira passagem pelo Beira-Rio, o meia evita dar combustível para que o lado azul encontre motivação extra para vencer.

Escale seu time para o Gre-Nal 402 e compartilhe nas redes sociais

— Se existe favoritismo ou não, é só uma palavra. Todos que jogam em casa o pessoal acaba colocando. O Ceará nos mostrou que isso não existe jogando aqui. Imagina o Grêmio, com toda a história que tem. O clássico acaba se igualando muito. O respeito existe, e não estamos mais na época de algumas alfinetadas de um jogador ou outro. Não tem vantagem para ninguém mesmo jogando aqui em casa — destaca, antes de elogiar o tradicional adversário:

— A gente espera um Grêmio forte e motivado, que está brigando lá em cima porque tem condições para isso. O treinador que chegou agora é de Europa e Copa do Mundo, com toda a história que ele tem. A gente sabe que eles vão vir muito fortes.

Leia mais notícias sobre o Inter
Confira a tabela completa do Brasileirão

Tanto Inter quanto Grêmio optaram por fechar seus trabalhos na tarde desta quarta. Abel ainda comandará mais uma movimentação sem presença do público e dos repórteres, na sexta-feira. Alex explica a utilidade dos treinos secretos.

— Mágica não vai acontecer. É mais pela privacidade de você se comunicar sobre o adversário. Com o tempo de estrada que tem o Abel, ele consegue projetar um pouco do que o adversário vai fazer. Treinamento fechado acaba servindo um pouco para isso — afirma.

Colorado ZH: estádio de brinquedo no Gre-Nal?

Foi dentro do novo Beira-Rio que Abel comandou o treinamento, e será no estádio que um clássico será disputado pela primeira vez desde a reforma. Alex, porém, não dá importância demasiada à "estreia":

— É como se fosse um estádio novo, com piso novo, assento novo. Mas é o Beira-Rio antigo, a estrutura e a história dele. A gente não mudou de local ou de história. O Beira-Rio só mudou de roupa, ficou muito melhor. Vamos jogar de forma natural. O Ceará já veio aqui e carimbou a invencibilidade. A gente não pensa nisso. Pensa no que esse jogo representa — concluiu.

*ZH ESPORTES

Acompanhe o Inter no Brasileirão através do Colorado ZH. Baixe o aplicativo:

IOS

Android

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.