Negócio da China

Novo clube chinês entra na disputa por Anderson, e meia pode não viajar para os EUA no domingo

Clube aguarda até o final da semana a quantia considerada "irrecusável"

06/01/2016 - 16h33min | Atualizada em 06/01/2016 - 20h48min
Novo clube chinês entra na disputa por Anderson, e meia pode não viajar para os EUA no domingo Luiz Armando Vaz/Agencia RBS
Foto: Luiz Armando Vaz / Agencia RBS

Mais um clube chinês está disposto a tirar Anderson do Beira-Rio. O Tianjin Teda, time do ex-gremista Barcos, enviará ao Beira-Rio a quantia considerada irrecusável pelo presidente Vitorio Piffero para liberar o meia. Assim como a proposta do Hebei Fortune, a cifra baterá na casa dos R$ 43 milhões. A diferença está na proposta salarial ao jogador: pouco mais de R$ 1.400 mi — quase três vezes mais do que os R$ 500 mil que recebe em Porto Alegre. Há a possibilidade, inclusive, de Anderson não embarcar para os EUA para a disputa da Florida Cup.

Fernando Bob e Fabinho são destaques em treino de resistência

O ex-zagueiro Scheidt e o empresário Jorge Machado são os agentes que tratam do negócio com o Hebei e com o Tianjin. Ainda que o Inter tenha apenas 40% dos direitos econômicos de Anderson, serão do clube os custos da operação, como comissões, taxas, mecanismo de solidariedade da Fifa, entre outros. Por exemplo: o Grêmio, por ser o clube formador de Anderson, pela norma da Fifa, tem direito a cerca de R$ 800 mil do valor da negociação — ou 1,78% de qualquer transferência internacional envolvendo o meio-campista.

— Não será bem 40%, redondo. Entrará para o clube algo na casa de 32%, uns R$ 14 milhões — resumiu uma pessoa ligada à negociação.

Saiba quem são os sete reforços da base que Argel terá para a temporada

O Inter deve, ainda, R$ 5 milhões para Delcir Sonda — parceiro do clube na compra do meia. Este valor foi emprestado ao Inter pelo empresário colorado para pagamento das luvas no momento da assinatura do contrato, em janeiro do ano passado. O Inter, por sua vez, parcelou a cifra em 48 vezes com Anderson. Pela bolada depositada no negócio, o Grupo DIS ficou com 40% dos direitos econômicos de Anderson. Os 20% restantes pertencem ao próprio jogador.

Torcedor Colorado ZH: o amor de Vitorio Piffero por Anderson

O empresário Sérgio Leismann e o Inter já se reuniram na última semana de dezembro para avaliar uma possível transferência de Anderson para o mercado asiático.

— O nome de Anderson é um dos mais fortes da lista que o Hebei e Tianjin têm em mãos. Mas Elias, do Corinthians, e outros brasileiros também estão nela — disse uma fonte com trânsito no mercado da Ásia.

Se o camisa 8 for vendido, o Inter não buscará reposição imediata. Apostará, em um primeiro momento, nos garotos Alisson Farias, Andrigo e Gustavo Ferrareis — além dos experientes Alex e D'Alessandro. O dinheiro ganho com Anderson será usado para a contratação de um atacante, uma vez que o negócio com Leandro Damião está parado devido a pendências jurídicas.

 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.