Meio reforçado

Com três volantes, Inter busca vitória para sair do Z-4 diante do América-MG

Seijas e Nico López começam no banco de reservas na Arena Independência

Por: ZH Esportes
19/09/2016 - 07h06min | Atualizada em 19/09/2016 - 09h42min
Com três volantes, Inter busca vitória para sair do Z-4 diante do América-MG Ricardo Duarte / Divulgação/Inter/Divulgação/Inter
Foto: Ricardo Duarte / Divulgação/Inter / Divulgação/Inter

É um Inter com três volantes e totalmente brasileiro que tentará sair do Z-4. Para enfrentar o América-MG hoje à noite, Celso Roth tirou o venezuelano Seijas e o uruguaio Nico López, devolveu ao time Eduardo Henrque, Sasha e Artur. A partida será às 20h no Independência. Se vencer, a equipe deixará a zona de rebaixamento.

No último treino, já em Minas Gerais, no CT Cidade do Galo, Roth ensaiou até mesmo improvisar Ceará na lateral esquerda, mas confirmou Artur na posição em sua entrevista coletiva. Depois de elogiar Seijas e Nico López, a quem chamou de "grandes jogadores, que vão ajudar muito", justificou a utilização dos três meias defensivos:

Leia mais
América-MG x Inter: tudo o que precisa saber para acompanhar a partida


— Precisamos ter um meio mais forte, mais cheio, combativo. Eduardo Henrique não é "volante-volante". É um misto, ele chega e marca. Ele treinou, mas me a reação me deixou algumas coisas um pouquiiiiiinho em aberto. Conversamos com ele para corrigir.

Roth apelou até mesmo para uma explicação histórico-cultural para explicar sua decisão:

— Quais são as nossas raízes, do Rio Grande do Sul, culturalmente falando? São de luta, enfrentamento. O Inter não pode perder essas raízes. O Inter sempre foi um time de luta garra. E de técnica. Agora, que lutamos lá embaixo é isso o que precisamos.

A tendência do desenho do time é uma variação entre o 4-3-3 e o 4-1-4-1. Desta forma, Rodrigo Dourado faria a primeira função, tendo ao lado Eduardo Henrique e Fabinho, soltando Sasha e Valdívia para se juntar a Aylon no ataque. O discurso foi ao encontro do que havia pregado o vice de futebol, Fernando Carvalho, que pediu uma presença defensiva mais robusta no meio-campo.

Para o analista de desempenho Gustavo Fogaça, comentarista da Rádio Gaúcha, Fabinho e Eduardo Henrique dão qualidade na saída de bola superior a de Dourado nas funções ofensivas. Teremos que ver se o pessoal da frente vai dar opções para fazer triangulações. Caso contrário, viram três jogadores alinhados na defesa.

— O que preocupa é que o Inter parece mandar um recado ao América, de que não quer vencer o lanterna. A hora é oposta, é de hierarquia, de, mesmo com três volantes, mostrar a grandeza do Inter — opina.

Depois do treino, Roth conversou por cerca de 20 minutos com 12 jogadores. Além dos 11 titulares, estava Ceará, uma das principais lideranças do vestiário. No bate-papo, o treinador mostrou ao grupo que é necessário competir e que o momento, apesar de difícil, não é definitivo.

Além da explanação coletiva, Roth ainda falou particularmente com Eduardo Henrique e chamou Fabinho e Rodrigo Dourado. O objetivo foi claro: acertar o posicionamento exigido por ele.

A mudança de postura é um dos focos dos jogadores, como alertou Aylon:

— Temos que mudar a atitude. Precisamos buscar as vitórias e conquistá-las.

Ernando, o capitão de Roth, foi no mesmo sentido:

— Não podemos mais errar.

Acompanhe o Inter no Colorado ZH. Baixe o aplicativo:

IOS

Android

* ZHESPORTES


 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.