Pelo Brasileirão

Desligado e goleador: o perfil de Vitinho, arma do Inter contra o Botafogo

Jogo na Ilha do Governador será o primeiro do atacante contra o time carioca desde que saiu vendido ao CSKA em agosto de 2013 

Por: Leonardo Oliveira
12/10/2016 - 06h09min | Atualizada em 12/10/2016 - 08h22min
Desligado e goleador: o perfil de Vitinho, arma do Inter contra o Botafogo Lauro Alves/Agencia RBS
Foto: Lauro Alves / Agencia RBS

Vitinho, pelo menos, se sentirá em casa nesta noite. A partir das 21h45min, quando o Inter entrar no Estádio Luso-Brasileiro para enfrentar o Botafogo, o atacante visitará um capítulo de sua vida. Do outro lado, estarão velhos conhecidos, como Sassá e Gegê. Com eles, Vitinho fez parte de geração dourada do clube e foi campeão carioca sub-20 em 2011.

O bem-estar do atacante é um trunfo do Inter numa noite em que a vitória permite respirar fora do Z-4 outra vez. O jogo na Ilha do Governador será o primeiro de Vitinho contra o Botafogo desde que saiu vendido ao CSKA em agosto de 2013, por 10 milhões de euros (na época, R$ 31 milhões). Mesmo que sua trajetória como titular no clube tenha sido breve (41 jogos e 11 gols), Vitinho até hoje é apontado como modelo de sucesso nas categorias de base.

Leia mais:
Com três mudanças, Inter chega ao Rio buscando "somar pontos" em decisão contra o Botafogo
D'Ale fala de torcida pela recuperação do Inter e deixa futuro em aberto: "Não quero pensar nisso"

Foram pouco mais de dois anos no Botafogo. Em 2011, chegou do Audax depois de encher os olhos no Estadual juvenil. Em General Severiano, não demorou a trocar o rótulo do guri do Complexo do Alemão, como era conhecido, pelo do meia-atacante ambidestro de chute forte e drible fácil. Só havia uma ressalva: desligava do jogo e se esquecia de participar de forma mais coletiva — aliás, uma ressalva que ainda persiste. Eduardo Húngaro foi o primeiro técnico de Vitinho no Botafogo (Jair Ventura, rival nesta noite, foi o segundo). Ele e e o atacante chegaram juntos ao clube. Até hoje, Húngaro tem dúvidas se o perfil desplugado do atacante é virtude ou problema.

— A irreverência dele vem dessa falta de dar peso demais às situações. É tipo de jogador raro, que dá o mesmo peso à final de Libertadores ou à estreia em Estadual — observa Húngaro. — É claro que precisa evoluir seu nível de atenção, ninguém diz o contrário. O que constrói individualmente, porém, não se acha facilmente no futebol — complementa o técnico.

Essa dúvida de Húngaro é a mesma que persiste no Beira-Rio há quase dois anos. O mesmo Vitinho que decide jogos é também o jogador por vezes flagrado no mundo da lua. Tanto que seu resgate veio depois de uma conversa ao pé do ouvido com o vice de futebol Fernando Carvalho. Ouviu do interesse do clube em mantê-lo depois de dezembro, quando se encerra o empréstimo ao CSKA, e também do quanto seus gols e dribles são valorizados. Funcionou. Vitinho voltou em alta rotação contra o Santos e decidiu contra Figueirense e Coritiba. O grupo valoriza seu retorno, mas sabe que é preciso mantê-lo sempre conectado.

— Ele é fundamental. Qualidade, tem de sobra, é ambidestro, técnico. Qualquer time gostaria de contar com ele. Mas é preciso que esteja disponível, com a cabeça voltada para o time e o foco em 100%. Precisamos fazer com fique disponível até o final — analisa o lateral Ceará.

Vitinho ficou de fora por um mês, com dores no pé. Ainda segue com elas. Seria preciso passar por cirurgia em um dedo, mas isso ficará para dezembro. Em entrevista à RBS TV depois da vitória sobre o Figueirense, o atacante se emocionou com sua situação e chegou a soluçar. É bem verdade que ele anda mais sensível. Tudo por causa de Maria Luísa, sua filha gaúcha nascida em julho. Ele já é pai de Manuela, três anos. As gurias derreteram seu coração, garante o agente Miguel Góes.

— Ele está muito feliz neste momento, curtindo muito a paternidade. Vou te contar que até fraldas troca.

Essa felicidade, quem sabe, pode ficar ainda maior. Afinal, Vitinho estará entre velhos amigos. E pediu como presente pelos 23 anos completados domingo o Inter fora do Z-4. 

Vitórias dadas pelo atacante no Brasileirão

1º/10/2016 — Inter 1x0 Figueirense
6/10/2016 — Inter 1x0 Coritiba
1º/6/2016 — Inter 1x0 Atlético-PR
6/12/2015 — Inter 2x0 Cruzeiro
22/11/2015 — Inter 1x0 Grêmio
7/11/2015 — Inter 1x0 Ponte Preta
24/10/2015 — Inter 1x0 Joinville
12/9/2015 — Coritiba 0x1 Inter
12/8/2015 - Inter 1x0 Fluminense
17/5/2015 — Inter 1x0 Avaí

Acompanhe o Inter no Colorado ZH. Baixe o aplicativo:

App Store

Google Play

*ZHESPORTES


 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.