Noite de Messi Black

Palmeiras goleia e pega o Atlético-PR nas quartas da Copa do Brasil

Mazinho fez dois gols, deu assistência para Valdivia, e Maikon Leite completou os 4 a 0 no Paraná

10/05/2012 | 00h14
Palmeiras goleia e pega o Atlético-PR nas quartas da Copa do Brasil Gaspar Nóbrega/VIPCOMM/
Equipe de Felipão goleou e avançou às quartas da competição Foto: Gaspar Nóbrega/VIPCOMM

Ele se autodenominou Messi Black assim que foi apresentado na Academia de Futebol. É claro que a comparação da época de Oeste é exagerada, mas nesta quarta-feira Mazinho foi decisivo para o Palmeiras golear o Paraná por 4 a 0, na Arena Barueri, e se classificar para as quartas de final da Copa do Brasil. O adversário será o Atlético-PR, na próxima quarta-feira, com mando a ser decidido pela CBF.

A partida começou com as duas equipes partindo para o ataque. Mesmo com a vantagem de ter vencido o primeiro confronto por 2 a 1, o Verdão não se retraiu no campo de defesa. No início, o Tricolor tomou mais iniciativa do jogo, mas em poucos minutos o Alviverde equilibrou o duelo.

O time do técnico Ricardinho insistiu bastante em lances pelo lado esquerdo do ataque, aproveitando a lentidão de Mauricio Ramos. Foi por ali que Douglas Packer achou uma brecha e lançou Douglas Tanque. O centroavante emprestado pelo Corinthians demorou uma eternidade para dominar a bola e, quando arriscou a finalização, chutou torto, para fora.

Mazinho deu boa arrancada pela esquerda, mas a jogada não resultou em perigo para o goleiro Luiz Carlos. Barcos, bem na função de pivô, conseguiu algumas tabelas. No entanto, em sua oportunidade mais clara debaixo das traves, isolou arremate de esquerda.

Valdivia oscilou entre alguns bons passes e outros muito ruins. Quando arrancou pela direita, sofreu a falta. Marcos Assunção cobrou na segunda trave, e Mazinho completou: 1 a 0.

Dois minutos depois, Palmeiras e Paraná tiveram um atleta expulso cada. Após Henrique ser empurrado por Douglas Tanque, o zagueiro partiu para cima do centroavante e encostou a cabeça no rosto do rival. Péricles Bassols exagerou e deu vermelho para os dois.

A partir daí, Assunção foi recuado e improvisado na zaga. Com muitos espaços na defesa rival, o Paraná teve espaços, tentou, mas não conseguiu o empate.

Na volta do intervalo, Felipão sacou Barcos, pendurado com dois cartões amarelos, e colocou o zagueiro Román para acertar o seu sistema defensivo.

A atitude de Scolari somada ao baixo nível técnico do Paraná fez o Palmeiras não sofrer grandes sustos na segunda etapa. O gol de Mazinho, o Messi Black, aos cinco minutos, tranquilizou o Palmeiras. Marcos Assunção fez o desarme e tocou para o camisa 28. Ele recebeu a bola e encheu o pé: 2 a 0 no placar.

Uma das chances mais claras do Paraná na etapa final caiu nos pés de outro atacante emprestado pelo rival do Parque São Jorge. Elias dominou desvio dentro da área e chutou mal, para fora.

Sem um centroavante de referência, os palmeirenses se mexeram bastante no campo de ataque em busca de espaço. Foi assim que Mazinho - ou Messi Black - decidiu mais uma vez. Avançou pela esquerda e bateu cruzado. Valdivia se esticou e marcou. O Mago comemorou muito o seu tento - ele não marcava desde o dia 16 de outubro do ano passado, na derrota por 2 a 1 para o Fluminense, no Canindé.

E ainda teve tempo para mais. No seu primeiro lance, Maikon Leite aproveitou passe errado de Cambará e arrancou desde o meio de campo antes de fechar a goleada palmeirense.

Na sequência, a torcida alviverde começou a gritar olé. Em uma atitude pouco comum, Felipão pediu para a torcida parar de provocar o Paraná. E os gols também pararam por aí.

 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.