Mineirinho

Em lua de mel com o Atlético-MG, Ronaldinho deixou de lado a vida noturna

Jogador também abandonou o séquito de seguranças que o acompanhava no Flamengo

30/06/2012 | 17h38
Em lua de mel com o Atlético-MG, Ronaldinho deixou de lado a vida noturna Bruno Cantini,Atlético-MG/Divulgação
Dos três jogos com Ronaldinho, o Atlético-MG ganhou dois – Palmeiras e Náutico, com gol dele, de pênalti – e perdeu um (São Paulo) Foto: Bruno Cantini,Atlético-MG / Divulgação

Do hotel para os treinos, dos treinos para o hotel. É com essa frase que setoristas do Atlético-MG, adversário do Grêmio neste domingo, no Olímpico, resumem o dia a dia de Ronaldinho desde sua chegada a Belo Horizonte, no início de junho.

Uma rotina surpreendente para quem tinha vivido um ano de intensa agitação noturna, quando pertencia ao Flamengo.

Os próprios jornalistas preparavam-se para uma realidade diferente, em que precisassem percorrer os bares da moda em busca de flagrantes. Ainda mais que Ronaldinho iria conviver com o atacante Jô, mandado embora do Inter por seus excessos na noite. Nada disso se confirmou. A não ser, dizem os repórteres, que ele tenha se transformado no mineiro típico, "que faz as coisas em silêncio".

Conforme interpretação da imprensa, Ronaldinho passa a impressão de querer tirar o máximo proveito dos seis meses de contrato e, com isso, obter uma nova transferência milionária em 2013, quando completa 33 anos e pode dar os primeiros passos rumo ao fim da carreira.

No Atlético-MG, ele abriu mão até mesmo do séquito de seguranças com que costumava se apresentar para os treinamentos no Flamengo. Passa os dias com o irmão e procurador Assis, que o leva do hotel para a Cidade do Galo, e de lá para o hotel, localizado no bairro de Palmares, em área anexa a um luxuoso shopping center.

Também o salário é bem menor:

R$ 300 mil, que a direção garante não sair dos cofres do BMG, banco que patrocina o clube. Uma outra quantia, não descoberta pelos jornalistas, seria paga como direito de imagem.

Durante a semana, o meia evitou polemizar sobre sua volta ao Olímpico. Na última vez, pelo Flamengo, em 2011, ouviu uma vaia histórica.

Dario elogia, Tostão minimiza

Jogador mais famoso da história do Atlético-MG, o ex-centroavante Dario, o Dadá Maravilha, diz que a cidade se rendeu ao ídolo.

– Ronaldinho está em lua de mel com o Atlético-MG. Ganhou todo mundo com sua simpatia e humildade. Cuca armou um esquema em que todo o time joga por ele. É tratado como rei, acho que nem no Barcelona ele teve isso – afirma Dadá, 66 anos, comentarista da televisão mineira.

Mesmo convencido de que o Ronaldinho do Barcelona não existe mais, Dario diz que ele paira acima da média dos jogadores brasileiros, "por seus passes milimétricos e rapidez de pensamento". Com o mesmo bom humor dos tempos em que jogava, tem uma única certeza sobre Ronaldinho:

– Fazer 211 gols, como fiz, não é para qualquer um. Só se Cristo o iluminar.

Tostão, craque do Cruzeiro e inesquecível parceiro de Pelé na Copa de 1970, no México, não demonstra maior empolgação. Diz não ter visto nada mais expressivo em suas três atuações, contra Palmeiras, São Paulo e Náutico. O colunista da Folha de São Paulo acha justo que ele não receba salário superior ao da maioria dos jogadores brasileiros.

– Como o Atlético não tinha um jogador para essa posição, Ronaldinho é um bom reforço, mesmo sem jogar bem – opina Tostão.

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.