De olho no Mundial

Obras da Copa do Mundo na Capital sairão 65% mais caras do que o estimado

Oito projetos de mobilidade têm final previsto para maio de 2014, um mês antes do primeiro jogo

Atualizada em 30/07/2012 | 17h3430/07/2012 | 17h05
Obras da Copa do Mundo na Capital sairão 65% mais caras do que o estimado PMPA/Divulgação/
Avenida Beira-Rio está sendo duplicada para a Copa Foto: PMPA/Divulgação

Oito dos 10 projetos de mobilidade urbana para a Copa 2014 em Porto Alegre tiveram reajustes nos valores. Estimadas, há dois anos, em R$ 515,7 milhões, as obras da Capital, hoje, têm custo 65% maior – R$ 851,5 milhões. Além disso, devem ficar prontas apenas um mês antes do início do Mundial.

As informações foram publicadas nesta segunda-feira no Diário Oficial da União pelo governo federal, que atualizou a Matriz de Responsabilidades para a Copa – documento que define as obras para o Mundial em todo o país, firmado em 2010 entre a União, os Estados e os municípios que receberão jogos. A atualização traz modificações em 16 projetos no país – a metade, em Porto Alegre –, sendo que 13 delas foram provocadas por acréscimos acima de 25% sobre o estimado inicialmente.

Em Porto Alegre a diferença no valor será bancada pelo município. Porém, a cidade vai usar uma linha de financiamento criada pelo governo federal na Caixa para bancar essa contrapartida. Os maiores acréscimos em relação ao projeto original foram a duplicação da Voluntários da Pátria (217%) e o prolongamento da Severo Dullius (246%). As duas obras ainda aguardam início.

O secretário de Gestão e da Copa 2014 da Capital, Urbano Schmitt, explica que os valores maiores se devem à readequação dos projetos, que agora seriam mais completos do que os idealizados quando a lista de obras foi feita, em 2010. Também houve mudanças conceituais. No caso da Voluntários, inicialmente se pensou apenas na mudança do pavimento. Depois, a área técnica do município decidiu pela renovação completa da rede de esgotos, de iluminação e urbanismo, além de deparar-se com dificuldades adicionais na via, que tem prédios históricos. Isso tudo, segundo Schmitt, justifica o valor mais de três vezes maior do que o estimado há dois anos.

– Quando soubemos que haveria crédito a juros baixos, decidimos fazer projetos mais completos para que o legado à população fosse melhor – explica.

Outro ponto que chama a atenção no documento publicado pelo governo federal é o prazo de conclusão das obras: as oito portoalegrenses listadas estão previstas para serem finalizadas em maio de 2014. Praticamente junto com o início da Copa, que tem abertura marcada para o dia 12 de junho e o primeiro jogo no Estádio Beira-Rio, para o dia 15. Segundo Schmitt, as mais próximas do estádio, como a duplicação da Edvaldo Pereira Paiva, ficarão prontas antes disso.

Confira os oito projetos com valor maior do que o estimado em 2010:

- Cinco obras em cruzamentos da Terceira Perimetral: de R$ 120,4 milhões para R$ 194,1 milhões, aumento de 61,21%

- Duplicação da Avenida Beira-Rio e corredor Padre Cacique: de R$ 78,2 milhões para R$ 119,2 milhões, aumento de 52,43%

- BRT Protásio Alves: de R$ 53 milhões para R$ 77,9 milhões, aumento de 46,98%

- Duplicação Voluntários da Pátria: de R$ 30 milhões para R$ 95 milhões, aumento de 216,67%

- Prolongamento Severo Dullius: de R$ 24 milhões para R$ 83 milhões, aumento de 245,83%

- Viaduto e parada de ônibus próximo à Rodoviária: de R$ 21 milhões para R$ 31,5 milhões, aumento de 50%

- BRT Bento Gonçalves: de R$ 23 milhões para R$ 52,7 milhões, aumento de 129,13%

- BRT João Pessoa*: de R$ 32,5 milhões para R$ 64,5 milhões, aumento de 98,46%

*o BRT da João Pessoa substituiu o previsto originalmente, na Assis Brasil, que deve receber o metrô.

Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.