Contra o México

Brasil almeja fazer história na final olímpica do futebol, afirma Neymar

Após derrotar a Coreia do Sul, Seleção irá disputar decisão de Jogos Olímpicos depois de 24 anos

09/08/2012 | 11h41
Brasil almeja fazer história na final olímpica do futebol, afirma Neymar PAUL ELLIS /
Neymar está confirmado no time do Brasil para a partida deste sábado Foto: PAUL ELLIS

O Brasil quer fazer história com a conquista do ouro olímpico em Londres/2012 na final das 11h deste sábado (horário de Brasília) contra o México, afirmou nesta quinta-feira o atacante Neymar, principal estrela da seleção.

— O futebol brasileiro está diante da possibilidade de fazer história. Estamos preparados para os 90 minutos — afirmou o atacante do Santos em uma entrevista coletiva em Saint Albans, a 40 quilômetros de Londres.

Neymar admitiu que "será muito difícil" e lembrou que outras seleções do Brasil passaram por esta situação e não conquistaram a tão sonhada medalha de ouro.

— O México é uma grande seleção e eles estão jogando juntos há muito tempo — disse, antes de afirmar que o time de Mano Menezes respeita o adversário.

Na concentração, em um hotel cercado por um ambiente bucólico, o atacante afirmou que a seleção tem tranquilidade para treinar antes da decisão de sábado, que será disputada no mítico estádio de Wembley. Relaxado, Neymar sorriu várias vezes e brincou com os jornalistas. Ao ser questionado sobre a possibilidade de uma das estrelas do México, Giovani dos Santos, ficar fora da partida, foi sincero.

— Ele é um craque. Ficaria feliz se não jogasse, mas não existe favorito em uma final. Com Giovani ou sem Giovani, o México é um adversário muito forte. Chegaram até aqui. Respeitamos muito o México. Também falou sobre a experiência de jogar em Wembley, uma catedral do futebol.

— É uma honra jogar neste estádio, que faz parte da história do futebol. Infelizmente, o maior jogador de todos os tempos não jogou em Wembley. No sábado, nós estaremos representando não só o Pelé, mas todos os brasileiros. Espero que a seleção possa fazer história neste estádio.

Perguntado se ficaria frustrado com a medalha de prata, disse que não, mas admitiu que seria triste, pois a seleção busca a medalha de ouro.

Também rejeitou comparações com o português Cristiano Ronaldo (Real Madrid) e o argentino Lionel Messi (Barcelona), ao afirmar que ambos são seus ídolos e que se inspira nos dois. Outro que falou sobre o que será jogar em Wembley foi o volante Sandro.

— Já joguei em Wembley. É um estádio histórico. O campo é grande. Jogar em um campo assim permite mais espaço para trabalhar a bola — disse o jogador do Tottenham.

— Queremos fazer uma grande partida para todos os torcedores. Nossa equipe está focada, pensando na vitória.

O volante admitiu a pressão pela conquista inédita, mas afirmou que os jogadores estão unidos e que todos sonham com a conquista. No fim da entrevista, Sandro brincou com os problemas, que ele mesmo admite ter, com a língua inglesa.

— It's fine — afirmou, arrancando risadas dos repórteres.

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.