Explicações

Pai de Neymar admite ter recebido pagamento antecipado para dar prioridade ao Barcelona

Pai do jogador diz que recebeu 10 milhões de euros em 2011 como "empréstimo" para dar preferência ao Barça em 2014. Saída precoce, em maio de 2013, rendeu o pagamento

28/01/2014 | 16h30
Pai de Neymar admite ter recebido pagamento antecipado para dar prioridade ao Barcelona Josep Lago/AFP
Foto: Josep Lago / AFP

Pai e empresário do jogador Neymar, que se transferiu do Santos para o Barcelona em maio de 2013, Neymar da Silva Santos se posicionou, nesta terça-feira, sobre as denúncias de possíveis irregularidades na negociação. Ele negou qualquer tipo pré-contrato assinado antes do Mundial de Clubes de 2011, mas confirmou os valores divulgados pelo Barcelona, admitindo que recebeu 40 milhões de euros (cerca de R$ 132 milhões) em 2013 pela confirmação da preferência no negócio.

- Pedi ao Barcelona para quebrar a confidencialidade para que tudo seja transparente e limpo. Não devo nada - garantiu ele, cujo discurso teve duração de mais de uma hora e que, posteriormente, ainda falou ao vivo ao programa "Bate Bola", da ESPN Brasil.

Em resumo, quando o Santos manteve o jogador em 2011, o clube catalão pagou 10 milhões de euros à empresa N & N Consultoria Esportiva como forma de garantia para ter a preferência no negócio em 2014, quando o contrato com o clube de Vila Belmiro acabaria.

Caso o jogador acertasse com outro clube, porém, o pai do atleta teria de pagar ao Barça o mesmo valor acrescido de 30 milhões de euros. Se o acerto se concretizasse antes do tempo - o que aconteceu - ou se o clube catalão desistisse da compra, o estafe do atleta receberia o valor integral.

- O Barcelona fez um empréstimo para mim de 10 milhões de euros. Não é aliciamento. Não é a pessoa do Neymar jogador, eu faço com uma empresa minha. O que fiz com esses 10 milhões? Fiz um seguro para que pudesse pagar esses 40 milhões, caso o Neymar se machucasse, se acontecesse alguma coisa. E se tivesse acontecido alguma coisa e mais ninguém quisesse o Neymar? - questionou.

Neymar pai diz que, ainda em 2011, teria sido incluída uma cláusula no contrato com o Santos que permitia que ele pudesse negociar com equipes do exterior para decidir sobre o futuro do atleta após 2014 - o Santos ainda não confirma. No ano passado, ao perceber que não ganharia nada em 2014, o Peixe autorizou a venda do atleta, recebendo por isso 17 milhões de euros (R$ 56 milhões) - valor que dividiu com o grupo DIS.

O caso, que tramita na Justiça espanhola, já forçou a renúncia de Sandro Rossel, presidente do Barcelona, e teve novos desdobramentos com a divulgação de todos os valores envolvidos na "operação Neymar", revelados por Raul Sanllehí, diretor esportivo do clube.

Em seu depoimento, o pai de Neymar explicou o início da carreira do garoto e a recusa ao Chelsea até finalmente chegar à transferência ao Barcelona. Em 2013, o clube espanhol e o Santos entraram em acordo, e a família incentivou o jogador a aceitar e convenceu o clube brasileiro a liberá-lo antes da Copa das Confederações, pois temia vê-lo como "vilão" da eliminação.

O pronunciamento foi realizado na sede da NR Sports, empresa criada para gerenciar a carreira do jogador e de outras personalidades. Dentro da sede da empresa, em uma área nobre de Santos, estão sediadas outras quatro subdivisões: N & N Administração de Bens, voltada ao mercado imobiliário, N & N Consultoria Esportiva, para gerenciar a carreira de Neymar, N Store, que fabrica linhas de produtos do jogador, e a diretoria do projeto social Instituto Neymar Júnior. Poucos veículos de imprensa puderam entrar no escritório por determinação da assessoria, que barrou três profissionais.

Na época da transferência, o Barcelona divulgou ter desembolsado 57 milhões de euros (R$ 180 milhões) por Neymar. Quase um ano depois, no entanto, o jornal El Mundo teve acesso aos documentos na Justiça e observou que o valor real era de 95 milhões de euros (R$ 300 milhões), fazendo com que 38 milhões de euros não fossem declarados - segundo a promotoria espanhola, esse valor pode ter sido pago em "comissões secretas" à família do jogador. O pai do atleta diz que os valores se tratam de salários, pagamento de agente e outros serviços.

- Não devo nada às Receitas do Brasil e da Espanha, nada. Espero que acreditem nesse pronunciamento, porque queremos paz. Esses 40 milhões foram recebidos porque ele saiu antes. Eu tinha propostas maiores. Estou fazendo isso para dar paz ao meu filho, não quero que isso gere confusão - finalizou Neymar da Silva Santos.

O Santos deve emitir pronunciamento nos próximos dias, pois declarou estar aguardando apenas que Neymar pai desse sua versão sobre o caso. O Grupo Sonda, que detinha 40% dos direitos do atacante, estuda acionar a Justiça para receber uma nova parcela da venda. Já Neymar ainda não se manifestou e, de acordo com seu pai, está concentrado em se recuperar da lesão no tornozelo direito, voltar ao Barcelona e focar na Copa do Mundo.

VEJA TAMBÉM

     
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.