Relação desgastada

Interdição na Arena Corinthians põe em risco abertura da Copa

Com atrasos, estádio pode receber abertura do Mundial sem ter passado por eventos-teste.

07/04/2014 | 11h50
Interdição na Arena Corinthians põe em risco abertura da Copa Divulgação/Portal da Copa
Foto: Divulgação / Portal da Copa

O atraso nas obras da Arena Corinthians está deixando a relação entre Fifa e o clube paulista praticamente insustentável. Neste momento, é simplesmente impossível saber com precisão qual é a data de entrega do estádio. Parte do Itaquerão está interditada pelo Ministério do Trabalho, pois não houve cumprimento de exigências para maior segurança dos operários, principalmente em relação à rede de proteção coletiva, já que dois funcionários morreram durante as obras.

Uma nova inspeção está marcada para esta segunda-feira. Além disso, a questão das estruturas temporárias ainda não ficou clara. O Corinthians insiste que vai pagar, em conjunto com a Odebrecht, mas esta garantia é tratada com muita desconfiança pela Fifa, que vai aguardar até o limite. Se não houver solução, ela irá bancar e cobrar do clube depois.

Diante destes problemas, internamente a organização do Mundial trabalha agora com uma previsão de entrega entre 20 e 25 de maio. Se isto for confirmado, o evento teste oficial comandado pelo COL, previsto para 17 de maio, no jogo Corinthians x Figueirense, teria que ser adiado. O problema é que a abertura da Copa está marcada para 12 de junho, com Brasil x Croácia, e as possibilidades de teste estão ficando cada vez mais remotas.

O secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, tem uma verdadeira obsessão por testar estádios antes das competições. A entidade necessita, por exemplo, verificar se todos os ingressos vendidos pela internet estão na localização certa dentro da Arena. Uma possibilidade é a realização de uma partida, com capacidade de público reduzida. O Corinthians mantém a ideia de receber o jogo contra o Flamengo, no dia 27 de abril, mesmo com o estádio inacabado. A última reunião entre Valcke e Andrés Sanchez, ex-presidente corintiano e responsável pelas obras do Itaquerão, terminou da pior maneira possível.

O encontro, no final de março, realizado na sede do COL, no Rio de Janeiro, teve que ser interrompido por causa de uma forte discussão. Na mesma semana, o secretário-geral disse que "acredita na Odebrecht" para que a obra fique pronta, sem citar o clube. Nos bastidores, Sanchez é considerado arrogante e prepotente. E na verdade ele não faz questão de ter boa relação com os organizadores da Copa, tanto é que em recentes entrevistas em São Paulo disse que Joseph Blatter, presidente da Fifa, "só fica em gabinete e jatinho, não conhece estádio". De qualquer maneira, com todos os ingressos vendidos para a abertura do Mundial, a possibilidade de troca de sede não é cogitada pela alta cúpula da entidade.

Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.