Decisão liminar

Sada afirma que decisão da Superliga B entre São José dos Campos e Voleisul/Paquetá está adiada

Equipe mineira tinha perdido lugar na final para o Voleisul/Paquetá Esportes após ser punida pela escalação; equipe gaúcha afirma que não houve notificação e treina para jogo deste sábado

12/04/2014 | 11h22
Sada afirma que decisão da Superliga B entre São José dos Campos e Voleisul/Paquetá está adiada Renato Araújo/Divulgação
Voleisul/Paquetá Esportes decidiria a Superliga B neste sábado Foto: Renato Araújo / Divulgação

A decisão da Superliga B, entre São José dos Campos e Voleisul/Paquetá, marcada para a noite deste sábado, em São José dos Campos (SP), está adiada, afirmou o Sada Funec Contagem em seu site. A equipe diz ter conseguido uma liminar na 7ª Vara Cível do Fórum Regional da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, suspendendo a decisão até o julgamento da ação que excluiu a equipe do torneio pela escalação irregular de alguns atletas. Conforme o portal Lance!Net, a Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) foi intimada na tarde de sexta-feira, mas ainda não se manifestou. A informação foi divulgada pelo próprio clube mineiro.

— Estamos recebendo informações da imprensa. Não chegou nenhuma comunicação oficial. E a CBV também não comunicou o São José. Inclusive estamos na quadra para treinar antes da final — afirmou Tiago Peter Hoefelmann, diretor executivo da Voleisul/Paquetá.

Em julgamento em 31 de março, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva do Vôlei (STJD do vôlei) impugnou o resultado da terceira partida da semifinal da Superliga B, entre Voleisul e Sada após a equipe gaúcha alegar que o adversário teria escalado o ponteiro Kadu e o levantador Lucas Salim de forma irregular. Assim, o time das categorias de base do Sada Cruzeiro foi eliminado.

— Vamos defender o direito dos nossos meninos, que brilharam no torneio enfrentando equipes adultas. Em respeito a esses jovens que ganharam na quadra o direito de disputar uma final, decidimos esgotar até a última instância. Os atletas entraram em quadra e o fizeram amparados por uma autorização da CBV, que é a própria instância que estabeleceu o regulamento da competição. Iremos até onde o direito nos permitir chegar — afirmou o presidente do Sada Cruzeiro, Vittorio Medioli.

Os mineiros alegam que tinham autorização da CBV para a escalação dos atletas. Enquanto isso, o Voleisul afirma que eles não teriam condições de jogo por terem atuado em uma partida do Sada Cruzeiro na Superliga (vitória por 3 sets a 1 diante do Moda Maringá, em 13 de março), o que não é permitido pelo regulamento. De acordo com Parágrafo Único do Artigo 25 do Regulamento Oficial da Superliga Série B 2014, "após o dia 9 de março de 2014, caso o clube da Superliga Masculina Série B conceda o retorno dos atletas para o clube da Superliga Masculina 13-14, estes atletas não terão direito a retornar para a Superliga Série B".

— Houve um erro no procedimento. O correto para se questionar a escalação irregular de atletas não é a impugnação de partida, procedimento que foi utilizado pelo Voleisul. A ação deveria ter sido extinta sem julgamento. A segunda instância do STJD ignorou o erro no procedimento e julgou o mérito da ação. Considerando que o processo já foi julgado direto pela segunda instancia, o que também é errado, decidimos interpor essa ação junto à justiça estadual — declarou o advogado do Sada, Henrique Saliba.

Vale lembrar que no terceiro jogo das semifinais da Superliga B, no dia 18 de março, o Sada Funec Contagem venceram o Voleisul/Paquetá Esportes por 3 sets a 1, fazendo 2 a 1 na série e garantindo vaga na decisão.

— Se não tivéssemos autorização da CBV, esclarecendo sobre o regulamento, não iríamos correr o risco de entrar com esses atletas em quadra. Já havíamos disputado quatro partidas contra o Voleisul na competição e vencemos três jogos, todos sem esses dois atletas — disse o supervisor do Sada Cruzeiro, Luís Carlos Sales.

Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.